FenaPRF busca Ministério da Saúde para discutir saúde mental dos PRFs

FenaPRF busca Ministério da Saúde para discutir saúde mental dos PRFs

Fonte: FenaPRF

A FenaPRF se reuniu, na manhã desta terça-feira (24), com a Coordenadora de Saúde Mental do Ministério da Saúde, para discutir possíveis ações e programas para promover melhores condições de saúde psicológica aos policiais rodoviários federais.

No encontro, o presidente da FenaPRF, Dovercino Neto, repassou os números alarmantes de suicídios na Polícia Rodoviária Federal nos últimos anos. Os dados foram retirados de uma pesquisa de vitimização de PRFs publicado e atualizado pelo policial rodoviário federal W. Marques.

O presidente da FenaPRF afirmou que a entidade representativa entende ser necessário o estabelecimento de um protocolo para a prevenção de problemas psicológicos, visando identificar possíveis gatilhos ou situações que possam desencadear doenças psicológicas e até mesmo o suicídio. “Estamos muito preocupados com a falta de um protocolo que busque identificar eventuais problemas psicológicos em nossos policiais, através de um acompanhamento preventivo periódico e também quando o PRF passar por determinadas situações de elevado estresse, risco ou perda. A identificação precoce é fundamental para que haja o adequado encaminhamento do servidor para uma equipe profissional que possa auxiliá-lo a superar as dificuldades e situações inerentes a profissão”, explicou.

Psiquiatra de formação, Maria Dilma Teodoro, que é responsável pelo setor de saúde mental no Ministério da Saúde, afirmou que irá buscar realizar a ponte entre a área técnica e o Departamento de Polícia Rodoviária Federal, visando a identificação das necessidades e o estabelecimento de procedimentos que visem orientar os servidores tanto no seu dia a dia quanto nas hipóteses de eventos traumáticos.

“Levaremos esse demanda para o nosso comitê de prevenção ao suicídio e estudaremos uma forma de atuar com vocês. É uma porta que abrimos para trabalharmos não só a prevenção ao suicídio, mas outras questões de saúde mental”, afirmou Maria Dilma.

A expectativa é que com a movimentação do Ministério da Saúde, a categoria possa ter um horizonte de início de trabalho institucionalizado em prol da saúde mental dos policiais rodoviários federais, seja na prevenção, diagnóstico e tratamento.