Ações Coletivas

Ações Coletivas, Execuções, RPVs e Precatórios
ResumoDisponibilizamos o Link Listagem Nominal para que o filiado interessado, tenha acesso aos seus respectivos processos em que figurem diretamente como parte, a partir de ações coletivas dessa entidade.Listagem Nominal
Ações Relativas ao Pagamento de Vantagens
Saúde Suplementar
ResumoAção coletiva objetivando a garantia do pagamento do auxílio saúde a todo o servidor que tenha condições de comprovar a despesa com o plano de saúde, sendo ou não titular do plano, bem como ao servidor que optou por não utilizar qualquer plano de saúde, mas possui meios para comprovar os gastos realizados para a manutenção de sua saúde e de seus familiares.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Sobreveio sentença julgando improcedentes os pedidos formulados na inicial, ao argumento de que a exclusão imposta pela lei no tocando à impossibilidade de pagamento de Auxílio Saúde, de caráter indenizatório por ressarcimento, aos servidores ou seus dependentes que figurem como beneficiários de plano de saúde de titularidade de terceiros e para servidores que optarem pelo pagamento de despesas com a sua saúde e de seus dependentes de forma direto ao prestador, sem ter firmado vínculo contratual com plano ou seguro privado de assistência à saúde autorizado pela Agência Nacional de Saúde – ANS, em nada destoa da previsão legal que rege a matéria. Salientou que se essa fosse a vontade do legislador, tais hipóteses de ressarcimento estariam abarcadas pelo regramento da matéria. Diante disso, iremos interpor apelação.Processo nº: 1023553-49.2018.4.01.3400 distribuído à 21ª Vara Federal Cível de Brasília. 
Ação coletiva sobre as Alíquotas – Reforma da Previdência.
ResumoAção coletiva para em favor da categoria para que lhes afastar a confiscatória majoração da alíquota previdenciária, a progressividade abusiva das alíquotas e a instituição da contribuição extraordinária, promovidas pela Reforma da Previdência (Emenda Constitucional nº 103 de 2019), sobretudo porque as medidas foram instituídas sem a criação de benefícios correspondentes ao aumento e sem comprovação atuarial de sua necessidade.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Fomos intimados sobre a superveniência de sentença, para julgar o feito extinto, sem resolução de mérito, ao fundamento de que a Federação não teria legitimidade para representar os servidores haja vista que só poderia fazê-lo de forma subsidiária, caso não houvesse sindicato representante da categoria.Diante disso, será caso de interposição de recurso de apelação, fundamentando que não há que se falar em ilegitimidade da Federação.Processo nº: 1010268-18.2020.4.01.3400 e foi distribuído à 6ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal. 
Revisão dos valores de diárias pagas aos servidores em serviço fora da sede de lotação.
ResumoAção coletiva para em favor da categoria para que lhes seja garantido o reajuste do valor pago a título de indenização de diária, devido àqueles servidores que se afastarem da sede em caráter eventual para cobrir despesas com hospedagem, alimentação e locomoção urbana.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Proferida decisão declarando a incompetência do Juízo para processar e julgar a demanda, suscitando o conflito de competência (18/08/2020). Processo suspenso (25/08/2020).Processo nº: 1021803-12.2018.4.01.3400 e foi distribuído para a 2ª Vara Federal Cível da SJDF. 
Adiamento do Reajuste
ResumoAção coletiva para agir  em favor da categoria contra a postergação dos reajustes salariais promovidos pela Lei nº 13.371, de 2016, em razão da edição da Medida Provisória nº 849, de 2018 (publicada no dia 1 de setembro de 2018).
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento:Sobreveio decisão para indeferir a tutela provisória de urgência.Dentro do prazo para interposição do agravo de instrumento, o STF, em decisão publicada em 1º de fevereiro de 2019, concedeu cautelar na ADI 6004, para suspender a eficácia da Medida Provisória 849/2018.Como o recurso que pretendíamos interpor visava justamente a suspensão da referida MP 849/2018, o agravo de instrumento perdeu seu objeto, visto que a nossa pretensão foi atendida pela decisão do STF acima citada, a qual suspendeu a eficácia da Medida Provisória. Contestação apresentada.Processo nº: 1019808-61.2018.4.01.3400  e foi distribuído para a 1ª Vara Federal Cível da SJDF. 
GOE
ResumoA ação alusiva ao reconhecimento do direito à implantação e consequente pagamento da Gratificação por Operações Especiais – GOE.
SituaçãoTivemos procedência na ação de que se cuida nas instâncias ordinárias (Justiça Federal de 1ª instância e Tribunal Regional Federal da 5ª Região);A União Federal interpôs recurso especial e extraordinário em face da decisão de procedência da ação, que foram impugnados, tendo sido remetido os autos ao Superior Tribunal de Justiça, em caráter prejudicial, examinar e julgar primeiramente o recurso especial, o qual a recorrente pretende desconstituir a decisão favorável das instâncias ordinárias;No âmbito do STJ, o julgamento do recurso especial em referência concluiu-se em 20/05/2010, houve por bem conhecer e prover o recurso, relevando a aplicabilidade das súmulas 283 STF e 126 STJ.Fora interposto embargos de divergência em face do acórdão de julgamento do recurso especial, sob fundamento de que ele não está completo, pois a ele não foram acostados os votos divergentes nem as notas taquigráficas relevantes e fundamentais para a interposição de demais recursos pertinentes. Embargos de divergências negado provimento.Fora interposto Agravo Interno requerendo que seja considerada a decisão impugnada para prover-se monocraticamente o recurso de embargos de divergências. Julgamento marcado para dia 05/09/2018.
Documentos e LinksMovimentação JFCE – Processo: 970003278-7Movimentação TRF5 – Processo: 980506598-7Movimentação STJ – Processo: REsp nº 744815 / CE (2005/0067372-4)Movimentação STF – Processo: RE nº 912983
Ação contra reajuste da GEAP
ResumoA ação ajuizada contra o reajuste dos valores dos planos de saúde da GEAP, perpetrada pela Resolução GEAP/CONAD nº 099/2015, alcançará todos aqueles estados que possuam servidores, ativos e inativos, beneficiados pelos planos da AutoGestão em Saúde, entidade responsável pela prestação de serviços de assistência à saúde suplementar dos servidores ativos e inativos do Poder Executivo Federal, conforme o Convênio Por Adesão nº 001/2013, firmado entre a União (MPOG) e a GEAP.
SituaçãoProferida decisão que determinou a juntada de lista e autorizações expressas dos filiados (03/05/2016). A Federação apresentou os documentos determinados (24/06/2016). Proferida decisão que indeferiu a medida liminar ao argumento de que de acordo com a resolução GEAP/CONAD N° 99, o reajuste do valor de contribuição levou em consideração diversos fatores e não apenas os índices inflacionários ou quaisquer outros parâmetros singulares, como as normas da ANS. Também não se ateve apenas à necessidade de manutenção do equilíbrio econômico financeiro (17/06/2016). A Federação interpôs Agravo de Instrumento (13/07/2016). Proferido despacho mantendo a decisão agravada (19/07/2016). Proferido despacho determinando o sobrestamento da ação vez que o Agravo de Instrumento teve deferido o pedido de efeito suspensivo (30/05/2018). Proferida sentença que julgou improcedentes os pedidos sob o fundamento de que não há qualquer ilegalidade no índice fixado por meio da resolução em questão. Consequentemente, não há que se falar em substituição do índice, tampouco de devolução de valores cobrados (02/08/2019). A Federação interpôs Recurso de Apelação (22/08/2019). Processo remetido ao Tribunal (27/09/2019).Obs: Os processos são eletrônicos . Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado.Apelação nº 0008229-18.2016.8.07.0001Tramitação: 6ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e TerritóriosObjeto: Recurso interposto pela Federação contra sentença que julgou improcedentes os pedidos.Relator: Desembargador José Divino de OliveiraSituação: Proferido acórdão que negou provimento ao recurso ao argumento de que o reajuste em comento foi precedido de deliberação do Conselho de Administração – CONAD, órgão máximo da estrutura organizacional da Fundação e responsável pela definição da política geral de administração da entidade e de seus planos, do qual participam representantes dos beneficiários, o que indica que aumento das mensalidades do plano de saúde foi debatido e definido livremente pelas partes, em conformidade com a legislação de regência (28/11/2019). A Federação opôs Embargos de Declaração (11/12/2019). Processo incluído na pauta de julgamento do dia 12/02/2020 (19/12/2019). Decisão proferida negando provimento aos Embargos opostos pela Federação sob o fundamento de que os embargos de declaração não são a via adequada para instaurar nova discussão acerca da causa (26/02/2020). Interposto Recurso Especial pelo Sindicato (30/03/2020). Publicada certidão intimando o recorrente para recolher em dobro o preparo do Recurso Especial (23/04/2020). Manifestação apresentada pelo Sindicato juntando comprovante de preparo do recurso (05/05/2020). Publicada certidão intimando o recorrido a apresentar Contrarrazões (06/05/2020). Assim, sobreveio decisão não conhecendo do agravo em recurso especial ao fundamento de que o autor não teria impugnado especificamente a aplicação da Súmula 83 do STJ. Além disso, determinou a majoração dos honorários advocatícios em 15% do valor já fixado, caso já houver fixação pelas instâncias de origem. Diante disso foi interposto agravo interno argumentando que foi devidamente impugnada a referida súmula. Fomos intimados de acórdão que deu provimento ao agravo interno para conhecer do Agravo em Recurso Especial, mas negar provimento ao Recurso Especial. Segundo os julgadores, o acórdão recorrido adotou fundamentação suficiente, decidindo integralmente a controvérsia, porquanto as teses de aplicabilidade do CDC e a alegação de índole abusiva da cláusula de reajuste foram expressamente decididas. Destacou que o entendimento proferido pela decisão recorrida está em consonância com o entendimento do STJ sobre a inaplicabilidade do CPC no caso, bem como que não restou demonstrada a desproporcionalidade, nem a onerosidade excessiva do reajuste.Tendo em vista que não há qualquer vício a ser sanado que possibilite a oposição de embargos de declaração, não iremos recorrer dessa decisão. Assim, o processo irá transitar em julgado.
Documentos e LinksMovimentação TJDFT – Processo: 2016.01.1.030716-2Movimentação TJDFT – PJE  – Processo: 0008229-18.2016.8.07.0001
Indenização de Fronteira – Arquivado
ResumoAção em litisconsórcio com os sindicatos regionais que visa o pagamento da Indenização de Fronteira prevista na Lei 12.855/13 pela mora excessiva do Executivo Federal em regulamentar o mesmo.
SituaçãoJF: Sentença de extinção do processo sem julgamento do mérito em 15/05/2015. Trânsito em julgado em 28/06/2017. Baixa definitiva em 12/04/2018.TRF: Interposto o Recurso de Apelação ao TRF em 16/10/2015. Baixa definitiva em 17/05/2017;Obs.: essa ação está em processo de extinção em razão da desistência do seus interessados, os quais entraram com novas ações coletivas (uma para cada sindicato) que podem ser consultadas ao final desta página.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0025173-21.2015.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0025173-21.2015.4.01.3400
Anuênios
ResumoAção visando à contagem do tempo de serviço público prestado sob o regime celetista, para fins de Anuênios.
SituaçãoJFAL: Demanda proposta pela FENAPRF, perante o juízo da 4ª Vara Federal de Alagoas, mediante a qual foi condenada a União Federal a considerar o tempo de labor público prestados pelos servidores /substituídos antes do advento do Regime Jurídico único para fins de concessão /incorporação do adicional por tempo de serviço, assim como pagar as respectivas parcelas em atraso.TRF5: Com efeito a sentença monocrática foi confirmada pelo TRF 5ª Região, contra o que a União interpôs Recurso Especial e Extraordinário, os quais igualmente forma inadmitidos pela Corte Regional. Os anuênios foram executados entre 2005 e 2006, gerando mais de 1.200 processos desmembrados dos quais mais de 90% já foram pagos e arquivados. Apenas alguns casos isolados continuam em tramitação por conta de recursos que ficaram por anos pendentes de julgamento.
Documentos e LinksMovimentação JFAL – Processo Originário: 0005333-52.1996.4.05.8000  
 Convênio firmado entre o MJ e a GEAP
ResumoAção visando assegurar a qualidade de dependente/beneficiário para fins de permanência no convênio de assistência à saúde suplementar firmada entre o Ministério da Justiça e a GEAP, bem como assegurar a disponibilidade orçamentária para o exercício de 2008 e seguintes, em face as despesas relativas a contribuição per capita devida a GEAP.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito (pedido procedente em parte) 14/03/2011;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 29/06/2011. Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2007.34.00.035368-6Movimentação TRF – Processo: 2007.34.00.035368-6
 Gratificação de Atividade – GDAR
ResumoAção visando a gratificação pelo desempenho de atividade rodoviárias – GDAR.
SituaçãoJF: Sentença sem exame de mérito (falta de pressupostos processuais) 26/03/2010;TRF: Em 20/11/2019 parcial provimento à apelação da parte autora para afastar a preliminar de ilegitimidade ativa ad causam da FENAPRF, anulando a sentença e, com fulcro no art. 1.013, §3º do CPC, julgar improcedente o pedido. Em 22/05/2020 Trânsito em julgado do acórdão.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2007.34.00.013499-0Movimentação TRF – Processo: 2007.34.00.013499-0
 Horas Extras
ResumoAção visando o pagamento de horas extraordinárias trabalhadas na operação carnaval no período de 2002 a 2009.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito (pedido improcedente) 17/06/2013;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2009.34.00.009514-5
 Reajuste de Remuneração
ResumoAção visando o reajuste do índice da URP abril e maio de 1988 DL 2425/1988.
SituaçãoJF: Ação extinta sem resolução de mérito por ilegitimidade da FENAPRF no 1º grau;TRF: Apelação interposta e provida perante o TRF da 1ª região. Devolvidos os autos ao 1º grau para julgamento de mérito, nova sentença de improcedência. Nova apelação ao TRF1 Relator Desembargador Federal Francisco de Assis Betti; Em 19/02/2020 Negado o provimento da Apelação.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2005.34.00.008892-0Movimentação TRF – Processo: 2005.34.00.008892-0
 Reajuste de Remuneração, Provento ou Pensão
ResumoAção visando a implantação e cobrança dos valores retroativos referentes à URP de abril e maio de 1988, em 7/30 avos do índice de 16,19%, que correspondem a 3,77%, em benefício de seus filiados.
SituaçãoJF: Conclusos para despacho em 22/03/2018. Em 26/04/2018 o juiz mandou remeter os autos para o TRF1.TRF: Apelação interposta e provida perante o TRF da 1ª região. Acórdão com julgamento procedente (favorável a FENAPRF), com recurso especial interposto pela União ao STJ.  Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.STJ: REsp nº 1559386 / DF (2015/0246374-1) autuado em 06/10/2015; Conclusos para decisão ao(à) Ministro(a) SÉRGIO KUKINA (Relator) com parecer do MPF em 01/12/2015;  Em 25/09/2017 conhecido o recurso de UNIÃO e provido e determinado o retorno dos autos ao Tribunal de origem para que seja proferido novo julgamento dos embargos de declaração. Em 23/10/2017 ocorreu a baixa definitiva para o TRF da 1ª região.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2006.34.00.027385-0Movimentação TRF – Processo: 2006.34.00.027385-0TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e DespachosMovimentação STJ
Descontos Indevidos  
ResumoAção visa a restituição dos valores indevidamente descontados a título de contribuição previdenciária e adicionais noturnos, periculosidade e insalubridade.
SituaçãoJF: Ação julgada improcedente no 1ª grau;TRF: Apelação interposta e pendente de julgamento; Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0032433-91.2011.4.01.3400Movimentação TRF -Processo: 0032433-91.2011.4.01.3400
Reajustes e Diferenças
ResumoAção visa o reajuste de diferenças entre os 28,86% e os 31,87%, maior índice concedido aos militares 3,01%.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito (pedido improcedente) 24/06/2008; Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.TRF: Em 12/09/2018 negado provimento da Apelação. Em 22/01/2019 Baixa Definitiva;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2007.34.00.015108-8Movimentação TRF – Processo: 2007.34.00.015108-8
Descontos Indevidos
ResumoAção visando abster-se de concretizar qualquer aplicação que ofenda a irredutibilidade remuneratória.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito (pedido improcedente) 30/08/2010;TRF: Julgada a ilegitimidade da FENAPRF na 1ª turma do TRF1; Acórdão publicado em 24/08/2016. Embargos de Declaração opostos em 31/08/2016. Em 30/01/2019 negado provimento dos embargos.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2006.34.00.034182-1Movimentação TRF – Processo: 2006.34.00.034182-1TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
Horas Extras
ResumoAção visando a cobrança de horas extraordinárias e seus reflexos decorrentes, indenização correspondente aos repousos intrajornadas suprimidos, além de outros quaisquer direitos, em face de extrapolação da jornada legal de trabalho pelos servidores, incluindo implantação e seus efeitos financeiros pretéritos.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito (pedido improcedente) 24/07/2009;TRF: Apelação da FENAPRF provida no TRF1 sessão de 22/06/2016; Acórdão publicado em 13/07/2016. Interposição de recurso. Em 08/02/2017, a turma, em unanimidade, rejeitou os Embargos de Declaração.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2008.34.00.033340-3Movimentação TRF – Processo: 2008.34.00.033340-3TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
Diferença de valores sobre adicionais noturnos
ResumoAção de correção e cobrança das diferenças do adicional noturno, com adequação no fator de conversão e cômputo de horas noturnas, apurando-se as diferenças retroativas respectivas.
SituaçãoJF: Ação julgada parcialmente procedente.  TRF: Apelação interposta pela União perante o TRF da 1ª Região (relator desembargador federal Francisco de Assis Betti). Migrado ao PJe. Acórdão: Assim, estamos consolidando o entendimento de que a FENAPRF possui a legitimidade para substituir processualmente toda a classe, inexistindo óbice para transigir sobre os direitos dos policiais rodoviários federais. Na oportunidade, consignamos que não houve recurso por parte da União, o que indica que esse entendimento pode estar sendo consolidado inclusive para a Administração Federal, após diligências com a parte contrária. Foi feito apenas um Embargo de nossa parte para estabelecer os parâmetros temporais do cálculo, assim como fixar percentualmente os honorários advocatícios sucumbenciais.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2008.34.00.002607-5Movimentação TRF -Processo: 2008.34.00.002607-5
Pagamento das diferenças do reajuste de 3,17%  
ResumoAção foi foi proposta em 28/05/97, figurando no polo ativo a FENAPRF na qualidade de substituta processual de todos seus filiados, contra a União Federal, perante o MM. Juízo da 1º Vara Federal de Alagoas.Visa o pagamento das diferenças do reajuste de 3,17%. A pretensão é de revisão dos critérios utilizados no cálculo de liquidação, sob o argumento de que o reajuste de 3,17% deveria ficar limitado a março de 1996, data da concessão das gratificações 805-GAPF, 808-DPF e 811-GAR DPF – art. 4º da Lei 9.266/96, que teriam incorporado o referido percentual aos vencimentos
SituaçãoJFAL: Em 24/10/97 foi julgada procedente em 1ª instância, no qual condenou a União a incorporar aos vencimentos, o percentual de 3,17%, a partir de janeiro de 1995, bem como lhe pagar as diferenças vencidas desde de então, tudo devidamente atualizado.Designada audiência de conciliação para o dia 11/06/2018.TRF: A sentença restou confirmada pelo egrégio  TRF/5ª região, decisão contra a qual a União interpôs Recurso Especial e Extraordinário que contudo não foram admitidos pela corte regional.Irresignada, a União manejou Agravo de Instrumento contra as decisões que inadmitiram o RESP e RE; Não obstante as cortes superiores STJ e STF negaram provimento aos agravos, em decorrência do que o título judicial transitou em julgado em 21/02/2001, baixando em seguida ao juízo de origem. Foi promovida a execução da Obrigação de fazer (implantação). Contra tal pedido a União opôs os Embargos nº 2001.80.00.5855-3, que fora julgados improcedentes pelo juízo competente (1ª VF/AL), no sentido de determinar o cumprimento do título judicial, com imediata incorporação do percentual de 3,17% em favor dos filiados da FENAPRF. Posteriormente foi promovida a execução da obrigação de dar (atrasados), através da execução diversa nº 2002.80.00.8813-6, a qual a União opôs os Embargos nº 2003.80.00.2542-8 (1ª VF/AL);Cumpre, por fim, esclarecer que a presente Ação Ordinária nº 97.3236-4 beneficia os servidores vinculados à FENAPRF de todos os Estados, excluídos apenas, obviamente, aqueles que porventura já foram beneficiados em outras ações de mesmo objeto.Últimos andamentos:13/06/2018: https://fenaprf.org.br/novo/fenaprf-busca-agilizar-execucao-da-acao-dos-317-por-meio-de-acordo-com-a-agu-em-alagoas/05/09/2018:https://fenaprf.org.br/novo/fenaprf-apresenta-primeira-analise-dos-substituidos-da-acao-dos-317/04/12/2018: https://fenaprf.org.br/novo/diretoria-juridica-disponibiliza-acesso-nominal-para-consulta-das-acoes-coletivas/14/02/2019:https://fenaprf.org.br/novo/diretoria-juridica-disponibiliza-acesso-nominal-para-consulta-das-acoes-coletivas-2/22/04/2019:https://fenaprf.org.br/novo/nota-informativa-sobre-a-acao-dos-317-da-fenaprf/
Documentos e LinksMovimentação JFAL – Processo Originário:  0003632-22.1997.4.05.8000 (97.0003632-4)
Implantação do reajuste de 3,17%  
ResumoAção movida contra a União Federal, através da qual os autores objetivam a implantação de reajuste no índice de 3,17%, a título de diferença salarial, bem como pagamento de todas as parcelas em atraso desde janeiro de 95.
SituaçãoJFAL: Em 15/04/2002 foi julgada procedente em 1ª instância, para que a União promova a implantação do percentual de 3,17%, a título de diferença salarial, e bem assim ao pagamento das respectivas parcelas atrasadas, a partir de agosto 96.TRF5: Remetido ao TRF (apelação). Em 18/09/2003 Negado o provimento da Apelação.Execução em andamento, por grupos de 10 beneficiários, com vários pagamentos já realizados; Beneficia todos os PRFs filiados ao sistema em 2001, que não estavam na ação anterior (PRFs da turma de 99 e demais que não eram filiados em 1997, cerca de 500 beneficiários).
Documentos e LinksMovimentação JFAL – : 000613914-2001.4.05.8000Movimentação TRF5 Apelação – Processo:  0006139-14.2001.4.05.8000TRF5 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
Incorporação dos 3,17%
ResumoAção visa a manutenção da incorporação dos 3,17% (LEI 8880/94), que foi suprimido após vigência da MPV 2225/2001, que limitava o direito até a reorganização da carreira.
SituaçãoJF:Sentença com exame do mérito pedido procedente 20/06/2003;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 30/07/2007. Negado Provimento da Apelação em 24/10/2007; Processo remetido ao STJ em 10/02/2009; Em 05/04/2017 os autos retornam ao TRF, recebido pelo Desembargador Carlos Augusto Pires.STJ: Este baixou recentemente do STJ, onde houve a discussão tão somente quanto à legitimidade da FENAPRF para propor a execução do título formado na ação ordinária.Considerando que o STJ julgou favoravelmente para reconhecer a legitimidade da FENAPRF, as questões de mérito dos Embargos à execução opostos pela União ficaram pendentes de apreciação, motivo pelo qual o processo voltou a tramitar na 2ª instância. AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.171.363 – DF (2009/0244154-0)
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2002.34.00.026282-1Movimentação TRF – Processo: 2002.34.00.026282-1TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e DespachosMovimentação STJ
Pagamento vantagens pecuniárias – Portaria conjunta 01/07 MPOG.
ResumoAção visa determinar o afastamento da limitação do valor pagamento vantagens pecuniárias Portaria conjunta 01/07 MPOG.
SituaçãoJF:Sentença com exame do mérito (pedido procedente) 23/02/2010;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 04/02/2011. Em 10/08/2016 concluso para relatório e voto. Em 15/08/2018, a turma, por unanimidade, negou provimento à apelação. Embargos de Declaração interposto pela União. FenaPRF protocolou petição impugnando os embargos. Incluído na pauta de Julgamento para dia 20/02/2019. Em 20/02/2019, a turma, por unanimidade, rejeitou os embargos de declaração.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2007.34.00.032935-5Movimentação TRF – Processo: 2007.34.00.032935-5
Descontos Indevidos
ResumoAção visa abster-se de realizar o desconto determinado pelo Ofício 09/2006 – SRH/MP nos rendimentos dos servidores da PRF que apresentarem vinculação com o sistema sindical federativo.
SituaçãoJF: Sentença de embargos de declaração infringentes 12/06/2008;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 24/09/2008. Em 18/10/2017, a turma, por unanimidade, negou provimento à apelação. Acórdão publicado no Diário Eletrônico da Justiça Federal em 13/11/2017. Em 21/11/2017 embargos declaração rejeitados; Acórdão publicado no Diário Eletrônico da Justiça Federal em 06/04/2018.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2006.34.00.029045-5Movimentação TRF – Processo: 2006.34.00.029045-5
Pagamento do Abono de Permanência
ResumoAção visa promover a incorporação e o pagamento retroativo do abono de permanência instituído pela emenda constitucional nº 41/2004, a todos os servidores filiados.
SituaçãoJF: Sentença sem exame do mérito (ilegitimidade das partes) 18/05/2012;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 19/10/2012. Migrado ao PJE.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2008.34.00.033712-0Movimentação TRF – Processo: 2008.34.00.033712-0
Pagamento de Adicionais em férias e licenças
ResumoAção visa o pagamento dos adicionais de insalubridade, periculosidade, noturno, auxílio creche, auxílio alimentação em férias e licenças.
SituaçãoJF: Ação extinta sem resolução de mérito por ilegitimidade da FENAPRF no 1º grau;TRF: Apelação interposta perante o TRF da 1ª região (relator desembargador Francisco de Assis Betti). Concluso para relatório e voto em 15/03/2013; Migrado ao PJE.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0037176-81.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0037176-81.2010.4.01.3400
Licença-prêmio não gozadas
ResumoAção visa a conversão em pecúnia dos períodos de licença prêmio não gozadas.
SituaçãoJF: Sentença com exame do mérito pedido procedente em 30/04/2007;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 24/09/2008; Concluso para relatório e voto em 15/02/2016; Rejeitados os Embargos de Declaração em 14/09/2016; Em 14/10/2016 Acórdão publicado; Recurso apresentado. Decisão/Despacho publicado no Diário Eletrônico da Justiça Federal em 29/09/2017. Em 16/02/2018 processo suspenso aguardando recurso no STJ;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2004.34.00.027674-1Movimentação TRF – Processo: 2004.34.00.027674-1
Horas Extraordinárias
ResumoAção visa o pagamento das horas extraordinárias laboradas pelos servidores substituídos.
SituaçãoJF:Sentença com exame do mérito pedido improcedente em 24/07/2009;TRF:Remetido ao TRF (apelação) em 22/03/2013. Em 22/06/2016 a turma por unanimidade, julgou nos termos do voto da Relatora. Acórdão publicado em 13/07/2016. Embargos de declaração opostos em 19/08/2016; Em 23/11/2016 concluso para relatório e voto; Em 06/12/2016 incluído na pauta de julgamento para 08/02/2017; Em 08/02/2017 embargos de declaração rejeitados. Recurso apresentado.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2008.34.00.033340-3Movimentação TRF – Processo: 2008.34.00.033340-3 TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
Pagamento da substituição em todos os afastamentos dos titulares
ResumoAção visa a cobrança dos valores devidos a título de pagamento de substituição, aos servidores que exercerem as atribuições de função/cargo, quando dos afastamentos do titular não considerados pela Administração como motivo para este pagamento.
SituaçãoJF: Sentença com pedido improcedente em 09/05/2013, sob fundamento de não ser possível conferir interpretação extensiva, quando a lei dispõe de forma restrita.TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 13/09/2013; Concluso para relatório e voto em 09/11/2017. Em 01/08/2018, a turma, por unanimidade, negou provimento à apelação.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0042115-36.2012.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0042115-36.2012.4.01.340
Correção do pagamento de vantagens na modalidade de exercícios anteriores
ResumoAção visa a cobrança dos valores reconhecidos administrativamente e não pagos, cadastrados na modalidade de exercício anterior, com a devida atualização das parcelas, bem como a cobrança da correção monetária dos valores administrativos recebidos de forma atrasada, sem a devida correção.
SituaçãoJF: Em 26/04/2016 sentença com pedido improcedente;TRF: Concluso para relatório e voto em 07/10/2016; Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0056482-31.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0056482-31.2013.4.01.3400
Afastar a aplicabilidade dos itens 5 “g” e “h” do memorando circular 013/2012 – CGRH nos processos administrativos
ResumoAção visa declarar a ilegalidade da determinação expressa no memorando circular 013/2012/CGRH, permitindo-se a propositura de ações judiciais que busquem a cobrança de dívidas reconhecidas administrativamente.
SituaçãoJF: Sentença sem exame do mérito (ilegitimidade das partes) em 03/08/2012 sob o fundamento que a FENAPRF representa os sindicatos e não representa diretamente os filiados.TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 29/05/2013. Concluso para relatório e voto em 07/10/2019;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0030503-04.2012.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0030503-04.2012.4.01.3400
Abono permanência  – 13 salário – adicional de férias
ResumoAção para agir em favor da categoria para que incida o valor do Abono de Permanência sobre a base de cálculo do Terço Constitucional de Férias (Adicional de Férias ou Férias Remuneradas) e da Gratificação Natalina (Décimo Terceiro Salário), tendo em vista o óbice irregular criado pela Administração Pública com base na Nota Técnica nº 570/2009/COGES/DENOP/SRH/MP, de 12 de novembro de 2009, e na Nota Informativa nº 968/2017/CGNOR/DNOB/SEGRT/MP, de 9 de março de 2017, pois desconsideram os efeitos da natureza remuneratória desses benefícios, em virtude de, sobretudo, neles incidir tributação.
SituaçãoO processo recebeu o nº 1005025-93.2020.4.01.3400 e foi distribuído para a 20ª Vara Federal Cível da SJDF.Andamento: sobreveio sentença julgando os pedidos procedentes para reconhecer o direito dos substituídos à incidência e inclusão do Abono de Permanência na base de cálculo do Terço de Férias e da Gratificação Natalina. Também condeno a União ao pagamento dos valores retroativos, observada a prescrição quinquenal, com juros e correção monetária pelo Manual de Cálculos da Justiça Federal. Apesar do acerto da sentença, essa foi omissa quanto ao pedido expresso de anular todos os atos administrativos que inviabilizam o cálculo do abono de permanência na a base de cálculo do Terço de Férias e da Gratificação Natalina, notadamente a Nota Técnica nº 570/2009/COGES/DENOP/SRH/MP, de 12 de novembro de 2009, e na Nota Informativa nº 968/2017/CGNOR/DNOB/SEGRT/MP, de 9 de março de 2017. Assim, vamos opor embargos de declaração suscitando essa omissão quando a análise do nosso pedido para que o juízo anule os atos administrativos indicados..
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Correção – Lei 13371/216 Classes e Padrões
ResumoAção para condenar em obrigação de fazer a correção das distorções acarretadas pela Lei 13.371/2016, consistente em aplicar o mesmo índice de reajuste de 34,58%, nos subsídios de todas as classes e padrões do cargo de policial rodoviário federal, bem como aos proventos de pensão, devidos a partir de 1º de janeiro de 2017, bem como os respectivos reflexos nas parcelas subsequentes, vigentes a partir de 1º de janeiro de 2018 e 1º de janeiro de 2019.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Protocolo realizado.Processo nº: 1089709-14.2021.4.01.3400. Tramitação: 17ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Ações Relativas a Tributos
Devolução de PSSS
ResumoAção coletiva que age em favor da categoria para que seja declarada como indevida a cobrança da contribuição previdenciária para aqueles substituídos homens que já contribuíram por mais de 30 anos, ou, se mulheres, por mais de 25 anos, conquanto ainda não tenham completado o tempo em exercício de cargo de natureza estritamente policial de 20 anos e 15 anos, respectivamente, bem como a devolução do que foi descontado após o referido período.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Acerca da ação ajuizada em face da União em favor de diversos SINPRFs (PA-AP, AM, BA, DF, ES, GO, MG, MT, PB, PE, RJ, RS, SC, SE, TO e AL)A sentença pronunciou no mérito, julgou improcedentes os pedidos, com fulcro no art. 487, inciso I, do CPC, sem fixação de honorários. Após interpormos recurso de apelação em face da sentença que julgou improcedentes os pedidos formulados na inicial, a parte ré interpôs apelação adesiva, requerendo a condenação da parte autora ao pagamento de honorários sucumbenciais. Diante disso, apresentaremos contrarrazões ao recursoProcesso nº: 1019324-46.2018.4.01.3400. Tramitação: 21ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Contribuição Social
ResumoAção visa o pagamento do que foi pago a maior – Redução de Percentual – Contribuição Social
SituaçãoJF: Sentença sem exame do mérito (ilegitimidade das partes) em 14/03/2000;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 27/06/2000; Negado Provimento da Apelação em 17/02/2009; Recurso apresentado. Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo:1998.34.00.030725-8Movimentação TRF – Processo: 1998.34.00.030725-8TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
Repetição de Indébito
ResumoAção visa a condenação da União na repetição de todo o indébito a ser apurado quando da execução do julgado (restituição de imposto indevidamente pago).
SituaçãoJF:ação julgada improcedente no 1º. Grau (JF/DF), com apelação desprovida no TRF da 1ª. Região. Interpostos recurso especial (não admitido) e recurso extraordinário (que se encontra sobrestado).;TRF: Apelação interposta e pendente de julgamento perante o TRF da 1ª região  (oitava turma  – relatora desembargadora federal Maria do Carmo Cardoso). suspensão/sobrestamento – decisão tribunal superior – repercussão geral (STF) Tema 808 – STF (RE 855091 RG/RS, Relator Min. Dias Toffoli, DJE 01/07/2015).
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0044182-08.2011.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0044182-08.2011.4.01.3400
Retenção do IR sobre a verba indenizatória auxílio pré-escola, Assistência pré-escola ou auxílio creche
ResumoAção visa a retenção do IR sobre a verba indenizatória, auxílio pré-escolar, assistência pré-escola ou auxílio creche.
SituaçãoJF: Ação julgada procedente e sentença parcialmente cumprida por antecipação de tutela concedida e confirmada (prescrição decenal). Apelação interposta pela União perante o TRF da 1ª. Região, pendente de julgamento.;TRF: aguardando julgamento da apelação.(Rel. Desembargadora Federal Maria do Carmo Cardoso – oitava turma).
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0037627-09.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0037627-09.2010.4.01.3400
Imposto de Renda sobre abono de permanência – Arquivado
ResumoAção visa declarar a não incidência do IRPF sobre o abono de permanência.
SituaçãoJF: Sentença sem exame de mérito em 01/10/2012 afirmando que o CGRH não seria autoridade coatora;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 22/03/2013; Em 28/08/2017 Negado o provimento da Apelação; Em 22/09/2017 Acórdão Publicado; Em 16/11/2017 foi dado baixa à origem.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0031236-67.2012.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0031236-67.2012.4.01.3400
Não incidência do IR sobre o terço de férias
ResumoAção visa declarar a inexistência de relação jurídico tributária do Imposto de Renda sobre o terço constitucional de férias.
SituaçãoJF: Sentença com exame do mérito pedido improcedente em 07/10/2013, considerando que já tinha entendimento firmado sobre a tese jurídica posta em juízo;TRF: Remetidos ao TRF (apelação) em 28/05/2014. Negado provimento da apelação em 25/11/2019 .
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0056863-39.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0056863-39.2013.4.01.3400
Desconto do Plano de Seguridade Social – Doença incapacitantes
ResumoAção coletiva ação coletiva ajuizada em face da União, na qual buscamos declarar o direito dos substituídos à cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante naquilo que exceder duas vezes o teto do Regime Geral de Previdência Social, de acordo com a regra do artigo 40, § 21, da Constituição Federal, na redação que lhe deu a Emenda 47, de 2005, após transcorrido o período da anterioridade especial de 90 dias previsto no artigo 195, inciso II e § 6º da Constituição Federal.
SituaçãoO processo recebeu nº 1010291-61.2020.4.01.3400 e foi distribuído para a 4ª Vara Federal Cível da SJDF.Distribuído por sorteio (21/02/2020). Processo concluso para decisão (27/02/2020). Proferida decisão indeferindo a antecipação de tutela sob o fundamento de que a concessão que parta do pressuposto de inconstitucionalidade de Emenda Constitucional, lei ou ato normativo do Poder Público, salvo situações extremas, é, no mínimo temerária, tem sido fortemente repudiada pelos Graus Superiores de Jurisdição e cria uma expectativa vã para o jurisdicionado (02/03/2020). Manifestação apresentada pelo Sindicato informando a interposição de Agravo de Instrumento (03/04/2020). Agravo de instrumento nº 1008896-49.2020.4.01.0000Tramitação: 2ª Turma Cível do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e TerritóriosObjeto: Recurso interposto pelo Sindicato contra decisão que indeferiu o pedido de antecipação de tutela.Relator: Desembargador Francisco Neves da CunhaSituação: Recurso concluso para decisão (03/04/2020).
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Desconto do Plano de Seguridade Social – Doença incapacitantes – SINPRF’s
ResumoCuida-se de ação coletiva promovida pelos SINPRF’s contra a União, com pedido de tutela provisória, objetivando suspender os efeitos da alínea ‘a’ do inciso I do artigo 35 da Emenda Constitucional 103, de 2019, determinando-se à ré que proceda com a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante de acordo com a regra do artigo 40, § 21, da Constituição Federal, na redação que lhe deu a Emenda 47, de 2005, para que o tributo incida apenas sobre aquilo que exceda duas vezes o teto do Regime Geral de Previdência Social.
SituaçãoSindicatos:Sinprf/AL – 1013269-11.2020.4.01.3400Sinprf/AM – 1013275-18.2020.4.01.3400Sinprf/CE – 1014317-05.2020.4.01.3400: Fomos intimados sobre a contestação apresentada pela Fazenda Nacional. Preliminarmente, impugnou o valor atribuído à causa, requereu a extinção do feito sem resolução de mérito, tendo em vista que se trata de sindicato de âmbito estadual, postulou a limitação dos efeitos da sentença aos filiados domiciliados no órgão prolator da decisão, bem como para os filiados ao tempo do ajuizamento da demanda. Ainda, sustentou a ausência de registro sindical. No mérito, fez arrazoado do histórico de mudanças trazidos pela EC 103/19, sustentando não existir violação ao texto constitucional. Ainda, afirmou não haver direito adquirido à determinada faixa de base de cálculo para incidência de contribuição social. Por fim, defendeu não haver violação à anterioridade nonagesimal diante da orientação do STF no sentido de que os postulados da anterioridade estão circunscritos às hipóteses que impliquem efetiva criação ou majoração de tributos. Diante disso iremos apresentar réplica rebatendo os argumentos apresentados na contestação.Sinprf/DF – 1014326-64.2020.4.01.3400: Inicial indeferida; Diante disso, iremos apresentar apelação;Sinprf/ES – 1014358-69.2020.4.01.3400Sinprf/GO – 1013477-92.2020.4.01.3400Sinprf/MA – 1013492-61.2020.4.01.3400: Fomos intimados sobre contestação apresentada pela União. Diante disso, iremos apresentar réplica, reiterando os pedidos da exordial.Sinprf/MG -1013397-31.2020.4.01.3400: Após opormos embargos de declaração em face da decisão que havia deferido somente o pedido subsidiário de tutela de urgência (suspensão dos efeitos pelo período de 90 dias), fomos intimados sobre sobre decisão que negou provimento ao recurso ao fundamento de que não há omissão, contradição ou obscuridade a ser sanada. Diante disso iremos interpor agravo de instrumento, para que seja deferido o pedido principal de suspensão dos efeitos  da alínea ‘a’ do inciso I do artigo 35 da Emenda Constitucional 103, de 2019, para que a ré que proceda com a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante de acordo com a regra do artigo 40, § 21, da Constituição Federal, para que o tributo incida apenas sobre aquilo que exceda duas vezes o teto do Regime Geral de Previdência Social.Sinprf/MS – 1013410-30.2020.4.01.3400Sinprf/MT – 1013495-16.2020.4.01.3400: Fomos intimados sobre contestação apresentada pela União. Diante disso, iremos apresentar réplica, reiterando os pedidos da exordial.Sinprf/PA – 1014220-05.2020.4.01.3400: Sobreveio decisão que indeferiu o pedido de tutela de urgência. Diante disso, iremos recorrer via agravo de instrumento para reverter a decisão.Sinprf/PB – 1013513-37.2020.4.01.3400Sinprf/PE – 1014211-43.2020.4.01.3400Sinprf/PI -1013941-19.2020.4.01.3400Sinprf/PR – 1014127-42.2020.4.01.3400: Fomos intimados sobre a apelação apresentada pela Ré. Assim, iremos apresentar as devidas contrarrazões.Sinprf/RJ – 1014138-71.2020.4.01.3400Sinprf/RN – 1014142-11.2020.4.01.3400: tutela provisória indeferida. 1011552-76.2020.4.01.0000: Fomos intimados sobre decisão monocrática que, em sede do Agravo de Instrumento, indeferiu o pedido da tutela sob o fundamento de que não restou evidenciada a probabilidade de direito já que o próprio STF entendeu que não seria o caso de acatar o pedido de medida cautelar lá requerido (nas ADI’s propostas para suspender, entre outros as alíquotas progressivas instituídas pela EC nº 103/2019), semelhante ao pleiteado na presente ação. Diante disso, iremos interpor Agravo Interno, reiterando o preenchimento dos requisitos para concessão de tutela provisória.Sinprf/RO – 1014146-48.2020.4.01.3400: Fomos intimados sobre decisão que indeferiu o pedido de tutela de urgência ao fundamento de que as mudanças implementadas pela EC 103/2019 estão sob análise do STF nas ADIs 6254, 6255, 6256 e 6258 e que a questão relativa a inconstitucionalidade do art. 35, I, alínea a, da EC 103/2019 está sendo discutida na ADI 6.336. Assim, a fim de garantir tratamento isonômico e segurança jurídica, a adequação constitucional da revogação do §21 do art. 40 da CF deve ser definido no julgamento da ADI, pelo STF. De qualquer forma, sustentou que não prospera a alegação de violação ao princípio da segurança jurídica. Por fim, intimou a parte autora para justificar o valor atribuído à causa.Diante dessa decisão iremos interpor agravo de instrumento.Sinprf/RS – 1014147-33.2020.4.01.3400: Sobreveio sentença julgando os pedidos parcialmente procedentes, deferindo apenas o pedido sucessivo para que se aplique aos substituídos a norma constitucional pretérita durante o período da noventena, em respeito à anterioridade nonagesimal, se aplicando a Reforma da Previdência apenas após o transcurso de 90 dias após a sua promulgação. Dessa forma, condenou a União a repetir os valores cobrados em excesso dos substituídos durante tal período.Contudo, indeferiu o pedido de declaração de inconstitucionalidade do art. 35, I, alínea “a”, da Emenda Constitucional (EC) nº 103/2019. Entende que a pura e singela análise abstrata da norma – alíquota de 11% sobre o que ultrapassar o teto do INSS – não permite concluir pela natureza confiscatória da Emenda, não podendo ser declarada sua constitucionalidade incidental. Diante da sucumbência recíproca, condenou as partes a pagarem as custas em partes iguais, bem como fixou os honorários de sucumbência em 10% sobre o valor atualizado da causa, e condenou cada parte a pagar metade do valor dos honorários ao advogado da parte adversa.Diante disso, iremos interpor o recurso de apelação.Sinprf/SC -1014164-69.2020.4.01.3400:Diante da apresentação da contestação, foi feita intimação para apresentar réplica bem como para produção de provas;Sinprf/SE -1014167-24.2020.4.01.3400Sinprf/SP – 1014174-16.2020.4.01.3400: Trata-se de agravo de instrumento interposto pela União em face da decisão que, nos autos do processo nº 1014174-16.2020.4.01.3400, deferiu a tutela de urgência para suspender, com relação aos representados pelo Sindicato autor, as contribuições ao RPPS majoradas, mantendo a isenção até o dobro do limite máximo estabelecido para os benefícios do RGPS, até o julgamento final da lide, nos termos do §21 do art. 40 da CF.Fomos intimados sobre decisão que deferiu o pedido de atribuição de efeito suspensivo ao recurso, suspendendo a eficácia da decisão agravada, bem como abrindo prazo para a apresentação de contrarrazões.Diante disso, apresentamos contrarrazões ao agravo de instrumento, bem como interpusemos agravo interno, requerendo que seja afastada a atribuição de efeito suspensivo ao recurso, para que a decisão que concedeu a tutela de urgência continue surtindo efeito.Sinprf/TO -1014203-66.2020.4.01.3400: Ocorreu a decisão que deferiu a tutela de urgência para determinar que a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante, decorrente da revogação do art. 40 § 21, da Constituição Federal pela EC nº 103/19, somente ocorra a partir do dia 01.03.2020. O deferimento se deu conforme pedido subsidiário da tutela. Assim, faremos AI para que seja deferida a tutela de urgência suspender os efeitos da alínea ‘a’ do inciso I do artigo 35 da Emenda Constitucional 103, de 2019, determinando-se à ré que proceda com a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante de acordo com a regra do artigo 40, § 21, da Constituição Federal, na redação que lhe deu a Emenda 47, de 2005, para que o tributo incida apenas sobre aquilo que exceda duas vezes o teto do Regime Geral de Previdência Social
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Desconto do Plano de Seguridade Social – PSS – Revogação
ResumoAção coletiva para agir em favor de seus substituídos, especialmente os inativos e pensionistas com doenças incapacitantes, contra a aplicação imediata do artigo 35, inciso I, alínea ‘a’, da Emenda Constitucional nº 103, de 2019, que revogou o § 21 do artigo 40 da Constituição Federal.
SituaçãoO processo recebeu nº 1003511-08.2020.4.01.3400 e foi distribuído para a 3ª Vara Federal Cível da SJDF.Proferida decisão indeferindo a petição inicial sob o fundamento de que a parte autora não ostenta legitimidade ativa para figurar no polo ativo da demanda, porquanto somente pode atuar como substituto processual dos sindicatos filiados (28/01/2020). Apresentado Recurso de Apelação da Federação (14/02/2020)
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Ações Relativas ao Direito de Férias
Indenização de localidade estratégica também no período em que o servidor se encontra em férias.
ResumoAção coletiva contra a União para que seja garantido o pagamento da indenização pelo exercício de atividade em localidade estratégica (Indenização de Fronteira), instituída pela Lei nº 12.855/2013, aos servidores lotados nos municípios previstos na Portaria nº 456/2017 do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, também no período em que estão em gozo de férias, bem como para que seja realizado o pagamento retroativo do benefício.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Sobreveio sentença julgando improcedentes os pedidos, pois o juiz entende que dia de efetivo trabalho somente pode ser compreendido como o dia em que o servidor esteja à disposição da Administração no local de trabalho, exercendo realmente suas funções, situação que não se vê nas férias. Iremos interpor recurso de apelação para pleitear a reforma da sentença.Processo nº: 1023157-72.2018.4.01.3400 e foi distribuído à 22ª Vara Federal Cível de Brasília.
1/3 de Férias
ResumoAção visando o não recolhimento de contribuição previdenciária – PSS sobre o valor pago a título de um terço constitucional de férias com a recuperação dos valores indevidamente recolhidos.
SituaçãoJF: Em 11/03/2009 Deferido o pedido de antecipação da tutela para que sejam depositados em Juízo os valores correspondentes à contribuição sobre o chamado terço constitucional até decisão final desta ação;TRF: Remetidos ao TRF (apelação) em 13/04/2012. Em 07/08/2012 negado provimento à apelação da autora. Parcial provimento à apelação da União, para pronunciar a prescrição da pretensão da repetição do indébito das parcelas recolhidas nos cinco anos anteriores ao ajuizamento da ação. Parcial provimento à remessa oficial para que as parcelas objeto da repetição do indébito sejam corrigidas apenas pela taxa Selic. Em 13/08/2012 Embargos de declaração opostos. Em 23/10/2012 Negado provimento  aos embargos declaratórios das partes. Em 05/11/2012 interposição de agravo regimental da decisão do relator que negou seguimento à sua apelação. Em 23/11/2012 negado provimento ao agravo regimental da autora. Em 31/01/2013 Recurso extraordinário interposto pela fazenda. Em 14/02/2014 não admitido o Recurso Extraordinário. FENAPRF, peticionou requerendo a restituição de prazo para impugnar decisão que deferiu pedidos de exclusão do feito de seus associados. Em 03/07/2015 foi deferido o pedido de devolução do prazo recursal. Baixa definitiva.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2007.34.00.003934-5Movimentação TRF – Processo: 2007.34.00.003934-5
1/3 de Férias – Substituídos não contemplados na ação de 2007.
ResumoAção Ordinária, com pedido de antecipação dos efeitos da tutela, em desfavor da UNIÃO FEDERAL, objetivando provimento jurisdicional com o objetivo de afastar a incidência da contribuição para o plano de Seguridade Social do servidor público – PSS sobre o terço de férias, bem como obter a devolução dos valores descontados indevidamente, relativamente a seus substituídos não contemplados no processo nº 2007.34.00.003934-5.
SituaçãoJF: Sentença sem exame do mérito pedido (ilegitimidade das partes) em 22/09/2014;TRF: Remetidos ao TRF (apelação) em 20/10/2014. Despacho exarado terminativo em 16/09/2015 Negando o seguimento à apelação da autora contra a sentença extintiva do processo sem resolução do mérito da causa ajuizada para desobrigar policiais rodoviários federais do recolhimento da contribuição previdenciária. O julgado concluiu pela ilegitimidade ativa da FENAPRF; Agravo regimental interposto em 28/09/2015; Negado provimento do agravo regimental em 06/11/2015; Embargos de Declaração opostos em 27/11/2015; Em 12/12/2017 vencido o Relator, rejeitou os Embargos de Declaração. Em 22/02/2017 recurso apresentado;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0029189-91.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0029189-91.2010.4.01.3400TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
PSS sobre férias
ResumoAção visando inexigibilidade de contribuição previdenciária incidente sobre o adicional de férias dos substituídos, e de repetição do indébito, respeitados a prescrição “decenal” e a atualização pela UFIR, até dezembro/1995 e taxa Selic a partir de janeiro/1996, mais juros mensais de 0,5% e TR.
SituaçãoJF: Sentença com exame do mérito pedido procedente em 31/03/2011;TRF: Remetidos ao TRF (apelação) em 13/04/2012. Despacho exarado terminativo em 01/08/2012; Embargos de Declaração opostos em 13/08/2012; Despacho exarado terminativo em 23/10/2012. Em 26/10/2012 agravo Interno apresentado; Negado Provimento do Agravo Regimental em 23/11/2012; Recurso apresentado. Baixa definitiva.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0003889-35.2007.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0003889-35.2007.4.01.3400
Ajuste no pagamento do Terço Constitucional de Férias
ResumoAção visa a declaração do direito ao recebimento do terço de férias com base no mês mais vantajoso ou ano último período de férias do correspondente exercício, cobrado a diferença dos valores devidos.
SituaçãoJF: Concluso para sentença desde 04/11/2014; Sentença com exame do mérito pedido improcedente em 22/11/2016;TRF: Processo em tramitação; Migrado ao PJE;Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0057108-50.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0057108-50.2013.4.01.3400Sentença 1ª Instância
Indenização de férias não gozadas
ResumoAção visa a cobrança de férias não gozadas sob a forma indenizada, proporcionais aos interstícios ou fração deste em que não houvera a fruição das férias constitucionais, seja em virtude de afastamento temporário ou licença, considerada como de efetivo exercício pela legislação vigente, seja em razão de demissão, falecimento, aposentadoria e exoneração.
SituaçãoJF: Em 08/09/2016 Sentença sem exame do mérito pedido (ilegitimidade das partes);TRF: Em 21/10/2016 Recurso de Apelação interposto; Em 16/03/2017 Concluso para relatório e voto;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0037146-75.2012.4.01.3400Movimentação – TRF 0037146-75.2012.4.01.3400Sentença 1ª Instância
Terço de Férias Constitucional – diferença em razão da lei 12.342, de 2010
ResumoAção visa o pagamento do terço de férias sobre a antecipação do aumento concedido pela Lei 12.342/10.
SituaçãoJF: Sentença com exame do mérito pedido procedente em parte 23/11/2016; Em 06/03/2017 Recurso de Apelação interposto;TRF: Processo em tramitação; Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0075059-57.2013.4.01.3400Movimentação – TRF 0075059-57.2013.4.01.3400
Ações Relativas a Aposentadoria
Ação das Nulidades
ResumoSob a coordenação da Federação dos Policiais Rodoviários Federais, e patrocinado por Cassel Ruzzarin Santos Rodrigues Advogados, os respectivos Sindicatos Regionais relacionados abaixo, ajuizaram ação ordinária contra a Reforma da Previdência e em favor dos portadores de doença especificada em Lei, aposentados por invalidez ou em decorrência de acidente de trabalho ou moléstia profissional.
Situação1.Sinprf/AL: Processo nº 1013269-11.2020.4.01.34002.Sinprf/AM: Processo nº 1013275-18.2020.4.01.3400: Proferida decisão concedendo a Antecipação de tutela (16/04/2020). Apresentado Embargos de Declaração pelo Sindicato para que seja concedida a tutela provisória nos termos requeridos na inicial, operando a suspensão da alínea “a”, do inciso I, do art. 35 da EC 103/19 (não apenas em relação ao respeito do período nonagesimal), bem como seja dada solução para os substituídos do Sindicato-autor que tiveram sua contribuição recolhida a mais antes da decisão proferida (08/05/2020).3.Sinprf/CE: Processo nº 1014317-05.2020.4.01.3400: Proferida decisão não concedendo a antecipação de tutela sob o fundamento de que não presentes os requisitos legais para o deferimento (30/03/2020). Juntada de contestação (08/07/2020).4. Sinprf/DF: Processo nº 1014326-64.2020.4.01.3400:Distribuído por sorteio (13/03/2020). Processo concluso para decisão (16/03/2020). Proferido despacho intimando o representante judicial da União e o segundo demandado, para, querendo, manifestar-se sobre o pedido de liminar, no prazo de 72 (setenta e duas) horas (17/03/2020). Processo concluso para decisão (16/04/2020). Sentença proferida indeferindo a petição inicial sob o fundamento de que evidenciada a inadequação do veículo processual escolhido, bem como a incompetência deste juízo para processamento e julgamento do feito em face das competências inscritas no art. 109 da Constituição Federal (16/04/2020). Recurso de Apelação interposto pela Federação (21/05/2020).5.Sinprf/ES: Processo nº 1014358-69.2020.4.01.3400: Proferida decisão não concedendo a antecipação de tutela sob o (29/06/2020). Juntada de contestação (15/07/2020).6.Sinprf/GO: Processo nº 1013477-92.2020.4.01.34007. Sinprf/MA: Processo nº 1013492-61.2020.4.01.340: Sobreveio decisão indeferindo o pedido de concessão de tutela de urgência, sob o fundamento de que por se tratar de ação coletiva deveria ser privilegiado o princípio do contraditório. Argumentou o juízo que a jurisprudência dos Tribunais ainda não concitou um significado prático do que seria a vedação ao confisco, previsto no art. 150, IV, da Constituição da República, quando se trata da obrigação principal tributária. Diante disso, iremos interpor o recurso de agravo de instrumento para reverter a decisão.8.Sinprf/MG: Processo nº 1013397-31.2020.4.01.340: Sobreveio decisão, deferindo a tutela de urgência para determinar que a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante, decorrente da revogação do art. 40 § 21, da Constituição Federal pela EC nº 103/19, somente ocorra a partir do dia 01.03.2020. Ocorre que, tendo em vista que tal deferimento não contempla a totalidade do pedido de antecipação de tutela, uma vez que não se manifestou sobre o pedido principal, qual seja a suspensão dos efeitos não apenas no período de 90 dias, opusemos embargos de declaração, no intuito de obter o deferimento total.9. Sinprf/MS: Processo nº 1013410-30.2020.4.01.3400: A União apresentou contestação, defendendo a constitucionalidade da revogação do §21 do artigo 40 da CF pela EC 103/2019, assim como informou que a Emenda Constitucional foi elaborada a partir de avaliações atuariais confeccionadas de acordo com o regramento estabelecido para a matéria, bem como ser dispensável a observância à anterioridade nonagesimal. O juiz deferiu a tutela de urgência pleiteada para suspender, em relação aos filiados substituídos, os efeitos da alínea ‘a’ do inciso I do artigo 35 da Emenda Constitucional 103/2019, mantendo a isenção até o dobro do limite máximo estabelecido para os benefícios do RGPS, de acordo com a regra do artigo 40, § 21, da Constituição Federal, na redação que lhe deu a Emenda 47, de 2005 até o julgamento final da lide. Fundamentou, em suma, que o aumento da base de cálculo efetivado pela EC 103 será implementado de forma desigual a depender da vinculação do servidor público, o que configura injustificada afronta ao princípio da igualdade. A União já protocolou recurso de Agravo de Instrumento em face do deferimento da liminar, iremos apresentar contrarrazões a esse recurso assim que formos intimados. Também iremos apresentar réplica à contestação da União.10. Sinprf/MT: Processo nº 1013495-16.2020.4.01.340011.Sinprf/PA: Processo nº 1014220-05.2020.4.01.3400: Proferida decisão não concedendo a Antecipação de tutela sob o fundamento de que não presentes os requisitos legais para o deferimento (26/05/2020). Conclusos para despacho (23/06/2020).12.Sinprf/PB: Processo nº 1013513-37.2020.4.01.3400: o juízo indeferiu a tutela provisória sob o fundamento de que se encontram em curso perante o Supremo Tribunal Federal as Ações Diretas de Inconstitucionalidade (ADIs) 6254, 6255, 6258, 6271 e 6367, e nelas o Relator, Ministro Roberto Barroso, indeferiu as liminares. Por fim, determinou a suspensão do processo até solução final das ADIs 6254, 6255, 6258, 6271 e 6367.Em razão disso interpusemos Agravo de Instrumento, contudo sobreveio decisão monocrática indeferindo a tutela provisória recursal, sob o fundamento de presunção de constitucionalidade da Emenda Constitucional, e que somente o STF, no controle concentrado de constitucionalidade, pode suspender a eficácia de norma legal impugnada. Diante disso, reiterou a imposição de suspensão processual da ação coletiva até o pronunciamento do STF nas referidas ADIs que tratam da matéria.Diante dessa decisão monocrática, iremos elaborar agravo interno para apreciação da questão pelo colegiado da 1ª Turma do TRF-1.13.Sinprf/PE: Processo nº 1014211-43.2020.4.01.3400: Sobreveio decisão indeferindo o pedido de tutela de urgência, entendendo o juízo que não há presença do requisito perigo da demora no presente caso e que não resta caracterizado o fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação, em face da incontestável solvabilidade da União. Destaca ainda que a constitucionalidade da Reforma da Previdência será objeto de apreciação pelo STF no julgamento da ADI nº 6258/DF, entendendo que se deve evitar, antes de enfrentado definitivamente o tema pela Suprema Corte, a adoção de soluções individuais capazes de afastar o cumprimento de obrigações cogentes, pertinentes ao dever fundamental de recolher tributos. Diante disso, iremos interpor o recurso de Agravo de Instrumento.14.Sinprf/PI: Processo nº 1013941-19.2020.4.01.340015.Sinprf/PR: Processo nº 1014127-42.2020.4.01.3400: Sobreveio decisão indeferindo a liminar pleiteada, nos processos mencionados. Diante disso, iremos interpor Agravo de Instrumento16.Sinprf/RJ: Processo nº 1014138-71.2020.4.01.340017.Sinprf/RN: Processo nº 1014142-11.2020.4.01.3400: Houve o indeferimento da tutela antecipada; Vamos interpor agravo de instrumento;18.Sinprf/RO: Processo nº 1014146-48.2020.4.01.340019.Sinprf/RS: Processo nº 1014147-33.2020.4.01.3400: Diante da sentença de parcial procedência, a União interpôs recurso de apelação. Preliminarmente, impugnou o valor atribuído à causa, bem como arguiu que os efeitos da sentença só poderiam ser aproveitados pelos substituídos que  integrem a categoria na correspondente base territorial e, concomitantemente, tenham domicílio no âmbito da competência territorial do órgão prolator. No mérito, contextualizou as modificações trazidas pela EC 103/2019, bem como arguiu a inaplicabilidade da anterioridade nonagesimal no caso.Diante disso iremos apresentar contrarrazões.20.Sinprf/SC: Processo nº 1014164-69.2020.4.01.3400: Sobreveio decisão indeferindo a liminar pleiteada, nos processos mencionados. Diante disso, iremos interpor Agravo de Instrumento.21.Sinprf/SE: Processo nº 1014167-24.2020.4.01.3400: Fomos intimados de sentença que indeferiu a inicial e extinguiu o feito, sem resolução de mérito, por inadequação da via eleita. O magistrado argumentou que o Sindicato pretende declarar a inconstitucionalidade em abstrato da norma, o que não seria possível pela via da ação ordinária. Diante disso, iremos interpor recurso de apelação.22.Sinprf/SP: Processo nº 1014174-16.2020.4.01.340023.Sinprf/TO: Processo nº 1014203-66.2020.4.01.3400 : Ocorreu a decisão que deferiu a tutela de urgência para determinar que a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante, decorrente da revogação do art. 40 § 21, da Constituição Federal pela EC nº 103/19, somente ocorra a partir do dia 01.03.2020. O deferimento se deu conforme pedido subsidiário da tutela.Assim, faremos AI para que seja deferida a tutela de urgência suspender os efeitos da alínea ‘a’ do inciso I do artigo 35 da Emenda Constitucional 103, de 2019, determinando-se à ré que proceda com a cobrança da contribuição previdenciária de aposentados e pensionistas com doença incapacitante de acordo com a regra do artigo 40, § 21, da Constituição Federal, na redação que lhe deu a Emenda 47, de 2005, para que o tributo incida apenas sobre aquilo que exceda duas vezes o teto do Regime Geral de Previdência Social.
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Ação das Nulidades
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FenaPRF promoveu ação coletiva em favor da categoria para assegurar o direito dos policiais ao cômputo do tempo de serviço anterior à Emenda Constitucional nº 20/1998 para fins de aposentadoria, independentemente da comprovação de contribuição referente ao período, bem como impedir que as aposentadorias já concedidas com averbação de tempo de serviço sejam anuladas, vez que a legislação só passou a exigir comprovação da contribuição previdenciária após 1998.
SituaçãoO processo recebeu o nº 1014025-20.2020.4.01.3400 e foi distribuído à 20ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.Proferida decisão não concedendo a antecipação de tutela sob o fundamento de que não presentes os requisitos legais para o deferimento (26/05/2020). Conclusos para despacho (23/06/2020).
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Ação das regras de transição
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FENAPRF busca na justiça o afastamento das alterações inconstitucionais que a Reforma da Previdência (art. 35, incisos II, III e IV da EC nº 103) promoveu no regime de aposentadoria, por meio da revogação das regras de transição previstas nas Emendas Constitucionais nº 20, de 1998, nº 41, de 2003 e nº 47, de 2005. A nova sistemática acabou por impor um sistema mais gravoso para que os servidores que ingressaram no serviço público até antes da vigência da Emenda 41 tenham direito à aposentadoria integral e com a devida paridade com os servidores da ativa.
SituaçãoO processo recebeu o nº 1011182-82.2020.4.01.3400 e foi distribuído à 9ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.Distribuído por sorteio (28/02/2020). Processo concluso para decisão (03/03/2020). Proferida sentença indeferindo a petição inicial sob o fundamento de que para a federação não há previsão legal para agir como se sindicato fosse, porque a finalidade de sua constituição é representar as entidades que a compõem (sindicato) e não os membros que as integram (03/03/2020). Interposto Recurso de Apelação pela Federação (20/04/2020).
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Ação das regras de transição (Reforma da Previdência)
ResumoSindicatos que congregam Policiais Rodoviários Federais em diversos Estados buscam na justiça o afastamento das alterações inconstitucionais que a Reforma da Previdência promoveu no regime de aposentadoria, por meio da revogação das regras de transição previstas nas Emendas Constitucionais nº 20, de 1998, nº 41, de 2003 e nº 47, de 2005, e da alteração de regras da aposentadoria especial.
SituaçãoO processo recebeu o nº 1060570-51.2020.4.01.3400 e foi distribuído para a 14ª Vara Federal Cível da SJDF.Houve decisão que indeferiu o pedido de liminar. Diante disso, iremos interpor recurso.
Documentos e LinksObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Aposentadoria Especial – Tempo de Atividade Militar
ResumoProtocolado pedido de intervenção, tendo em vista tratar‐se de consulta formuladasobre a possibilidade de cômputo do tempo de serviço prestado às forças armadas comoatividade de risco, para fins de contagem do tempo especial, exigido pela LC 51/85 para aaposentadoria voluntária de servidor policial.
SituaçãoTCU: Memorial entregue aos Ministros (01/07/16). O processo foi incluído na pauta de julgamento do dia 22/01/2020 (17/01/2020). Processo excluído da pauta por pedido de vista (22/01/2020). Processo aguarda julgamento.
Documentos e LinksMovimentação TCU – Processo: 007.447/2015-9
Aposentadoria Especial – Arquivado
ResumoProtocolado pedido de reexame e intervenção no processo, tendo em vista decisãoproferida na demanda, acerca da determinação da revisão de aposentadorias especiaisconcedida com a exclusão do tempo de serviço exercido em atividade administrativa da carreira policial, afeta a categoria em todo o País.
SituaçãoTCU: Proferido acórdão que autorizou a habilitação da FenaPRF como interessada, bem como prorrogou por mais 60 dias o prazo para determinar que o Ministério da Justiça adote providências com vistas à edição de normativo que delimite as atividades/atribuições que devem ser enquadradas como ‘estritamente policial’, a teor do art. 1º da Lei Complementar 51/1985 e da jurisprudência dos Tribunais Superiores, informando ao TCU as medidas efetivamente adotadas (20/02/106). A Federação apresentou manifestação reiterando os termos da intervenção em que se posicionou a favor de que a aposentadoria especial seja concedidas a todos os servidores policiais, independente da função que exerçam dentro da Corporação, levando-se em conta que toda a atividade policial, seja ela administrativa ou operacional, enquadra-se no conceito legal de atividade de risco ensejando a aplicação do disposto no art. 1º, inciso II, da Lei Complementar 51/1985 e na Lei 9.654/1998. Requereu também que as aposentadorias dos servidores policiais já concedidas não seja objeto de revisão de forma a prejudicar os servidores que se aposentaram de acordo com as normas e os procedimentos até então vigentes. Proferido acórdão que determinou a intimação do Ministério da Justiça e Segurança Pública para que regularmente as atividades/atribuições que devem ser enquadradas como estritamente policial, observando as orientações delineadas no Voto do Acórdão 1.882/2015 (31/10/2018). Proferido novo acórdão determinando a intimação do Ministério para que no prazo de 30 dias comprove o cumprimento da determinação anterior (09/10/2019). Enviado para pronunciamento do Ministro Vital do Rêgo (13/03/2020). Processo incluído na pauta da sessão Virtual de Plenário, prevista para 08/04/2020, às 14h30 (03/04/2020). Despacho proferido pelo Ministro Vital do Rêgo determinando o arquivamento dos autos tendo em vista que o artigo 169 do Regimento Interno do Tribunal de Contas da União e artigo 33 da Resolução 259 do Tribunal de Contas da União, sendo que as comunicações foram realizadas com a validade da ciência dos interessados (13/04/0020). Processo encerrado por cumprimento do objetivo (15/05/2020).
Documentos e LinksMovimentação TCU – Processo: 005.629/2013-6
Aposentadoria Especial – Conversão do Tempo Especial  
ResumoProtocolado pedido de intervenção como Amicus Curiae, tendo em vista a matéria tratarda conversão de tempo especial em tempo comum, e é de fundamental impacto nos critériosde aposentadoria do incomensurável número de servidores públicos que exerceram atividades em condições especiais antes do ingresso.
SituaçãoSTJ: Protocolado pedido de intervenção (13/07/2015). Juntada certidão certificando que decorreu o prazo para prestar informações e para manifestação de eventuais interessados (28/08/2015). Apresentado parecer pelo Ministério Público Federal opinando pelo conhecimento e provimento do Incidente de Uniformização de Jurisprudência (17/11/2015). Proferida decisão que deferiu o pedido de ingresso como amicus curiae da Federação (04/06/2018). Proferida decisão que determinou o sobrestamento do processo até julgamento do Recurso Extraordinário nº 1.014.286 vez que foi reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal a repercussão geral da matéria quanto à possibilidade de aplicação das regras do regime geral de previdência social para a averbação do tempo de serviço prestado em atividades exercidas sob condições especiais, nocivas à saúde ou à integridade física de servidor público, com conversão do tempo especial em comum, mediante contagem diferenciada (29/06/2018). Processo concluso ao relator (29/06/2018). Juntada de petição de ciência pelo Ministério Público Federal (04/09/2019).
Documentos e LinksMovimentação STJ – Pet nº 10211 / PR (2013/0394558-9)
Adicional Noturno e por Prestação de Serviço Extraordinário  
ResumoProtocolado pedido de intervenção como Amicus Curiae na ADI 5404, que objetiva questionar no Supremo Tribunal Federal (STF) dispositivos da Lei 11.358/2006, que impedem o pagamento de adicionais noturno e por prestação de serviço extraordinário, além de outras gratificações, aos integrantes da carreira de Policial Rodoviário Federal.A lei questionada veda o pagamento de qualquer gratificação, adicional, abono, prêmio, verba de representação ou outra espécie remuneratória aos titulares de cargos de diversas carreiras, entre elas a dos policiais rodoviários. A proibição ressalva apenas o pagamento da gratificação natalina (13º salário), de adicional de férias e abono permanência, previstos na Constituição Federal.
SituaçãoSTF: Proferido despacho determinando o encaminhamento dos autos ao Procurador-Geral da República e colha-se parecer acerca da presente ação direta de inconstitucionalidade, no prazo de 05 (cinco) dias, consoante o disposto no art. 8° da Lei n° 9.868/1999. Publique-se. Intime-se” (22/11/2019). Processo concluso ao Relator (21/05/2020).
Documentos e LinksMovimentação STF – ADI 5404
FUNPRESP
ResumoAção coletiva com pedido de tutela provisória, ajuizada pela FenaPRF e pelo SINPRF-RR contra a União e a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo (Funpresp-Exe), objetivando o reconhecimento do direito dos substituídos a não aplicação da Lei nº 12.618/2012 aos servidores públicos policiais rodoviários federais, tendo em vista a incidência da lei especial que rege a carreira específica, a Lei Complementar nº 51/1985.
SituaçãoJFDF: Proferida sentença revogando a tutela provisória sob o fundamento de os serviços públicos são aqueles prestados aos entes de direito público na s esferas federal, estadual distrital (29/07/2019). Processo remetido à Turma Recursal (27/05/2020).Apelação nº 0053549-80.2016.4.01.3400Relator: Desembargador Wilson Alves De SouzaObjeto: Recurso de Apelação da Federação em face da sentença que julgou improcedentes os pedidos da inicialSituação: Processo concluso para decisão (02/06/2020)
Documentos e LinksMovimentação Processual: 053549-80.2016.4.01.3400
FUNPRESP
ResumoAção visa manter o direito à aposentadoria integral e paritária nos termos da Lei Complementar nº 51/85 para os policiais rodoviários federais ingressos no órgão a partir de 04/02/2013, com o consequente afastamento da incidência da lei 12.618/12 que instituiu o Fundo de Previdência Complementar do Servidor Público Federal.
SituaçãoJF: Proferida decisão que indeferiu o pedido de antecipação de tutela ao argumento de que não há perigo de ineficácia da prestação jurisdicional, vez que não há qualquer situação concreta que evidencie o perigo da demora, já que a incidência da previdência complementar foi instituída por Lei de 2012 (09/12/2014). Os Sindicatos interpuseram o Agravo de Instrumento (18/12/2014). Proferida sentença que acolheu parcialmente o pedido para declarar o direito dos filiados à aposentadoria integral, disciplinada pela Lei Complementar 51/85, sem limitações ao teto de benefício do Regime Geral de Previdência Social, afastando-se o regime de previdência complementar instituído pela Lei 112.618/2012 e pelaPortaria nº 44/2013. Concedeu a tutela de urgência para determinar que a União promova o recolhimento na fonte de 11% da totalidade da base contributiva da remuneração dos filiados, destinando a diferença entre o montante recolhido e o valor equivalente ao desconto realizado (11% do teto de benefício do RGPS) para depósito em conta judicial, a ser aberta para essa finalidade, mantendo-se os benefícios regidos integralmente pela Lei Complementar nº 51/85, enquanto tal norma estiver em vigor. Diante da sucumbência recíproca, ambas as partes foram condenadas ao pagamento de custas e honorários (25/07/2016). A União apresentou Recurso de Apelação (23/08/2016). Os Sindicatos apresentaram Recurso de Apelação (31/08/2016). Os Sindicatos apresentaram manifestação requerendo o imediato cumprimento da antecipação de tutela. Proferido despacho intimando a União a dar cumprimento à decisão, bem como determinou a publicação da sentença, que até então, não havia sido publicada. Processo remetido ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (17/04/2017).TRF – Agravo: Proferida decisão que determinou a conversão do Agravo de Instrumento em Agravo Retido bem como sua remessa à origem para o devido apensamento do processo originário, uma vez que a questão discutida no recurso não necessita de imediato exame dada a ausência de risco de dano iminente irreparável (03/07/2015). Os Sindicatos apresentaram pedido de reconsideração. Proferida decisão que indeferiu o pedido de reconsideração (20/05/2016). Decisão transitada em julgado (12/07/2016). Processo remetido à origem (16/09/2016).TRF – Apelação: Os Sindicatos apresentaram manifestação requerendo a expedição de ofício à União para que se abstenha de descontar o Imposto de Renda sobre os valores depositados judicialmente a título de contribuição à Previdência e Seguridade Social devido aos filiados, em razão de isenção (08/03/2018). Processo concluso para relatório e voto (25/10/2019). Manifestação da Federação requerendo a exclusão dosefeitos provisórios da demanda em relação ao filiado José Renato Gerardi (29/01/2020).
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0081956-67.2014.4.01.3400Sentença de 1ª instânciaMovimentação TRF – Agravo – Processo:        0073635-58.2014.4.01.0000Movimentação TRF – Apelação – Processo:0081956-67.2014.4.01.3400
Contribuição Previdenciária sobre verbas dos arts. 5º e 6º da Lei nº 11.358/06 e ⅓ de férias
ResumoAção visando a suspensão de incidência e devolução de contribuição previdenciária e imposto de renda sobre verbas não incorporáveis à aposentadoria, inclusive apurando-se e buscando os efeitos financeiros pretéritos dos últimos dez anos.
SituaçãoJF: Sentença com exame do mérito (pedido procedente em parte) 11/10/2011;TRF: Apelação interposta e pendente de julgamento perante ao TRF da 1ª região (oitava turma – relator desembargador federal Marcos Augusto de Sousa). Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0029313-74.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0029313-74.2010.4.01.3400
Previdência sobre verbas não incorporáveis e ⅓ de férias
ResumoAção visa a restituição dos valores descontados indevidamente a título de contribuições previdenciárias sobre 1/3 constitucional de férias.
SituaçãoJF: Ação extinta sem resolução do mérito;TRF: Apelação interposta e pendente de julgamento perante o TRF da 1ª Região (oitava turma – relator desembargador federal Marcos Augusto de Sousa); Concluso para relatório e voto em 07/03/2019. Migrado ao PJE;Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0029312-89.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0029312-89.2010.4.01.3400
Decadência para cobrança do PSS sobre valores recebidos no curso de formação com contagem do tempo para fins de aposentadoria.
ResumoAção visa combater o referido ato ilegal de cobrar o PSS quando do requerimento de contagem do período de curso de formação profissional, considerando a decadência, quando transcorridos mais de 5 (cinco) anos sem o lançamento de ofício do imposto pela União, contados da data do pagamento da bolsa do CFP.
SituaçãoJF: Em 07/03/2018 Sentença de mérito com pedido procedente;TRF: Remetido ao TRF (apelação);
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0057126-71.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0057126-71.2013.4.01.3400
Reajuste do RGPS aos aposentados e pensionistas desprovidos de paridade com os ativos
ResumoAção visa declaração e cobrança retroativa dos reajustes fixados para RGPS nos anos de 2004 e 2008 e não implantados os benefícios de pensão e aposentadoria que não possuem paridade.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito e pedido procedente em 31/01/2014;TRF: Remetido ao TRF (apelação); Concluso para relatório e voto em 16/04/2018.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0013161-43.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0013161-43.2013.4.01.3400Movimentação Cumprimento Provisório
Aposentadoria da mulher aos 25 anos de serviço
ResumoAção civil pública tendo como objetivo declarar o direito das mulheres à aposentadoria especial aos 25 anos, anteriormente à edição da lei complementar 144/14. Tal demanda tem como fundamento a existência constitucional de uma diferença da aposentadoria entre homens e mulheres utilizando como princípio geral a redução de 05 anos do tempo necessário para aposentadoria pelas mulheres em relação aos homens, não observando tal regra a LC 51/85. Assim a LC 51/85 deve se amoldar ao texto constitucional para garantir às mulheres esse tratamento constitucional, com a declaração do direito à aposentadoria, bem como o pagamento de abono de permanência para aquelas que já completaram o tempo necessário.
SituaçãoJF: Em 05/05/2017 Sentença com exame de mérito pedido improcedente;TRF: Remetido ao TRF (apelação);
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0064780-12.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0064780-12.2013.4.01.3400
Inconstitucionalidade da pena de cassação de aposentadoria e demissão quando adquirido requisitos para aposentar
ResumoAção coletiva visando obter provimento jurisdicional consistente na abstenção dos efeitos dademissão e cassação de aposentadoria atingirem o direito adquirido a aposentadoria daquelesservidores que contribuíram para a Previdência Oficial e atingiram os requisitos paraexercício e gozo do benefício previdenciário.
SituaçãoSTJ: Mandado de segurança extinto sem resolução do mérito, pela maioria por entender que se dirigia contra lei em tese, sendo protocolado recurso ordinário para o STF em 05/06/2015.STF: Apresentado Recurso Ordinário, aguardando julgamento no STF através do RMS33649; Concluso ao relator em 17/12/2015;
Documentos e LinksMovimentação STJ – MS nº 20831 / DF (2014/0038938-8)Movimentação Recurso Ordinário – RMS 33649
Revisão Aposentadorias por Invalidez
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FENAPRF ajuizou ação coletiva em favor da categoria a fim de proteger as aposentadorias proporcionais por invalidez concedidas aos policiais, cujos benefícios foram calculados levando em consideração os divisores de 30 anos, para homens, e 25 anos, para mulheres, conforme as disposições da Lei Complementar nº 51/1985.
SituaçãoO processo recebeu o número 1081221-70.2021.4.01.3400, tramita perante a 20ª Vara da Seção Judiciária do Distrito Federal e aguarda apreciação da tutela de urgência.Sobreveio sentença não acatando nossa argumentação acerca da legitimidade ativa da FenaPRF e extinguindo o processo sem resolução de mérito. Nossa equipe está analisando para manejar o recurso cabível.
Documentos e LinksOs processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Revisão Aposentadorias por Invalidez – Sindicatos
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FENAPRF ajuizou ação coletiva em favor da categoria a fim de proteger as aposentadorias proporcionais por invalidez concedidas aos policiais, cujos benefícios foram calculados levando em consideração os divisores de 30 anos, para homens, e 25 anos, para mulheres, conforme as disposições da Lei Complementar nº 51/1985.
SituaçãoO processo recebeu o nº 1003742-64.2022.4.01.3400 e foi distribuído à 20ª Vara Federal da SJDF.
Documentos e LinksOs processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Ações Relativas à Progressão Funcional
Efetivação da progressão funcional
ResumoAção visa efetivar a progressão funcional a quem se faz jus nos anos a partir de 2004, 2005 e 2006.
SituaçãoJF: Sentença sem exame do mérito 27/07/2012 (indeferimento da petição inicial);
Documentos e LinksMovimentação JF -Processo: 0032434-76.2011.4.01.3400
Progressão funcional e efeitos financeiros
ResumoAção visa a progressão funcional e efeitos financeiros da turma de 1994.
SituaçãoJF: Sentença com embargos de declaração infringente devolvido com embargos de declaração rejeitados 28/09/2007 (pedido procedente);TRF: Remetido ao TRF (apelação); Em 07/06/2017 Após o voto do relator, dando provimento à apelação da União e à remessa oficial para pronunciar a ilegitimidade ativa da federação, manifestou voto divergente o Desembargador Carlos Augusto Pires Brandão, reconhecendo a legitimidade ativa da federação, no que foi acompanhado pela Desembargadora Gilda Sigmaringa Seixas. Em 24/10/2017 após o relator apresentar um sumário da causa e não tendo havido retificação de votos, foram chamados a votar nesta sessão extraordinária os Desembargadores Francisco Neves da Cunha e César Cintra Jatahy Fonseca, que acompanharam o voto divergente do Desembargador Carlos Augusto Pires Brandão. A Turma, por maioria, vencido o relator, negou provimento à apelação da União e à remessa oficial, admitindo a legitimidade ativa da autora. Não tendo havido pronunciamento da Turma sobre o mérito da apelação da Federação, essa questão deverá ser objeto de exame pelo relator originário, dispensada a lavratura de acórdão por se cuidar de matéria preliminar. Em 05/03/2018 foram opostos Embargos de Declaração.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2005.34.00.022585-5Movimentação TRF – Processo: 2005.34.00.022585-5Solicitação para entrega dos recibos dos honorários da progressão de 1994.
Mudança de base de cálculo para pagamento adicional por tempo de serviço
ResumoAção visa a mudança da base de cálculo para o pagamento do adicional por tempo de serviço.
SituaçãoJF: Sentença sem exame de mérito em 20/05/2010 (ausência de pressupostos processuais); TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 16/03/2011. Apelação parcialmente provida em 16/12/2015; Embargos de declaração opostos em 19/01/2016; Pauta de julgamento publicada em 05/04/2016; Em 13/04/2016 a turma negou o provimento dos Embargos de declaração;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 2008.34.00.008768-2Movimentação TRF – Processo: 2008.34.00.008768-2TRF1 – Inteiro Teor de Acórdãos, Decisões e Despachos
Progressão vertical automática após 12 meses de efetivo exercício
ResumoAção visa obter para a turma de 2009 a primeira progressão em 12 meses, afastando a progressão em 36 meses imposta para a primeira classe criada com a lei 11784/2008.
SituaçãoJF: Sentença sem exame de mérito em 01/07/2013 (ilegitimidade das partes), sob o fundamento que a FENAPRF representa os sindicatos e não representa diretamente os filiados;TRF: Em 11/09/2019 provimento à Apelação; Migrado ao PJE;Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0039919-93.2012.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0039919-93.2012.4.01.3400
Declarar a data da posse como marco inicial para avaliação de desempenho 
ResumoAção visa estabelecer, como marco inicial para fim de progressão funcional, a data que o servidor entrou no órgão, ou do início do curso de formação (para a turma de 1994), com o pagamento dos valores retroativos, observando a cautelar de interrupção de prescrição já protocolada.
SituaçãoJF: Concluso para sentença em 22/10/2015; Migrado ao PJE;Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0063017-73.2013.4.01.3400
Garantir a avaliação funcional nos afastamentos considerados como efetivo exercício
ResumoAção visa a efetivação da avaliação nos afastamentos considerados como de efetivo exercício por mais de seis meses.
SituaçãoJF: Sentença com exame de mérito e pedido improcedente em 31/01/2014;  TRF: Remetido ao TRF (apelação) em 10/03/2015. Migrado ao PJE;Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0049093-92.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0049093-92.2013.4.01.3400
Definição da quantidade de servidores para progressão em 12 meses considerando o efetivo nacional e não apenas da Unidade de Lotação – Decreto 84.669/1980
ResumoAção visa a efetivação da concorrência nacional, para fins de atribuição de conceito 1 ou 2, merecimento ou antiguidade.
SituaçãoJF: Devolvidos com sentença sem exame do mérito falta de pressupostos processuais em 15/09/2015, considerando que o magistrado afirmou que não poderia ser utilizada ação civil pública para a defesa de direitos funcionais de servidores públicos por sindicato.TRF: Recurso de Apelação interposto em 17/03/2016; Migrado ao PJE;Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0056065-78.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0056065-78.2013.4.01.3400
Cômputo do tempo de serviço público (gênero) para efeitos de avaliação de desempenho
ResumoAção visa suspender os efeitos do parágrafo 1º do artigo 12 do decreto 84.669/80 e declarar nula todas as avaliações que desconsiderem tempo de serviço público previsto na ficha de avaliação.
SituaçãoJF: Proferida sentença julgou extinto o processo sem resolução do mérito sob o argumento que o Sindicato não tem interesse processual em postular qualquer direito de seus associados neste Juízo, mediante substituição processual, na medida em que a sentença proferida por este Juízo, cuja competência territorial está limitada ao Distrito Federal, não abrangerá nenhum dos substituídos, pois todos têm domicílio no Estado da Paraíba (16/04/2010). O Sindicato interpôs recurso de Apelação (14/05/2010). Processo remetido ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (20/10/2010);TRF: Remetidos ao TRF (apelação) em 20/10/2010. Conclusos para relatório e voto em 09/10/2014.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0001675-66.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0001675-66.2010.4.01.3400
Ações Relativas ao Pagamento de Benefícios
Isonomia do Auxílio Alimentação
ResumoProtocolado pedido de intervenção como Amicus Curiae, tendo em vista o processotratar de decisão acerca da aplicação do princípio da isonomia quanto ao pagamento earbitramento dos valores referentes ao auxílio‐alimentação de servidores públicos de carreiras e órgãos distintos definirá o posicionamento do Supremo Tribunal Federal para o tema.
SituaçãoSTF: Proferida decisão que indeferiu o ingresso como interessado da FenaPRF, SinPRF/GO e SinPRF/RJ (20/08/2013). A Federação e os Sindicatos interpuseram Agravo Regimental. Apresentado parecer pela Procuradoria Geral da República opinando pelo não conhecimento ou provimento do Recurso Extraordinário (19/03/2014). Iniciado o julgamento, o Ministro Luiz Fux votou pelo provimento do recurso para julgar improcedente a ação ordinária originária e propunha a seguinte tese: “Não cabe ao Poder Judiciário, que não tem função legislativa, aumentar qualquer verba de servidores públicos de carreiras distintas sob o fundamento de isonomia, tenham elas caráter remuneratório ou indenizatório”. Pediu vista o Ministro Dias Toffoli (20/09/2019). Certidão de julgamento expedida (24/09/2019).
Documentos e LinksMovimentação STF – RE 710293
Afastamento por motivo de Saúde
ResumoAção ação ordinária ajuizada em face da União, objetivando, em síntese, a decretação de nulidade da Portaria n° 1.674/2007, garantindo-se, definitivamente, o direito dos policiais rodoviários federais, em situações que exijam o afastamento por motivo de saúde,  de não serem obrigados a comparecer no dia imediatamente posterior ao término de seu afastamento, bem como que não sejam compelidos a repor o dia não trabalhado nem sofram o desconto do dia não trabalhado por motivo de saúde;
SituaçãoAndamento: Proferida decisão julgou extinto o processo sem resolução do mérito por ausência de um dos requisitos para o legítimo do direito da ação (07/07/2010). A União interpôs recurso de Apelação (04/08/2010). Processo remetido ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (19/08/2011).Apelação nº 0010334-35.2008.4.01.3400Tramitação: 2ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª RegiãoObjeto: Recurso interposto contra decisão que julgou extinto o processo sem resolução do mérito.Situação: Proferida decisão negando provimento ao recurso de Apelação (18/04/2018). A Federação opôs Embargos de Declaração (08/06/2018). A União opôs Embargos de Declaração (15/06/2018). Proferida decisão rejeitando ambos os Embargos de Declaração (28/11/2018). A Fundação interpôs Recurso Especial e Recurso Extraordinário (12/02/2019). Processo recebido no Gabinete da Vice-Presidência (21/03/2019).
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0010334-35.2008.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0010334-35.2008.4.01.3400
Auxílio Alimentação e Creche
ResumoAção visa a não supressão do auxílio alimentação parcela complementar de subsídio e auxílio creche recebidos pelo servidor;
SituaçãoJF: Sentença com exame do mérito (pedido improcedente) em 30/04/2012;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0037175-96.2010.4.01.3400
Pagamento de auxílio alimentação durante afastamentos legais
ResumoAção visando pagamento de auxílio alimentação durante o curso de formação profissional.
SituaçãoJF: Concluso para sentença desde 01/10/2014. Em 03/10/2016 Sentença sem exame do mérito – perda de objeto;TRF: Em 30/11/2016 Recurso de Apelação interposto; Em 27/09/2017 à turma deu parcial provimento à Apelação; Em 19/10/2017 Embargos de Declaração opostos pela FENAPRF. Em 25/07/2018 Embargos rejeitados; Em 03/10/2018 Recurso Especial apresentado;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0017843-07.2014.4.01.3400Sentença 1ª InstânciaMovimentação TRF – Processo: 0017843-07.2014.4.01.3400
Isonomia do auxílio alimentação
ResumoAção visando a equiparação do auxílio alimentação e demais verbas indenizatórias no mesmo patamar devido aos servidores do TCU, com o pagamento dos valores retroativos.
SituaçãoJF: Sentença com com exame do mérito – pedido improcedente em 28/06/2013, sob o argumento de inexistir direito líquido e certo, invocando a súmula 339 do STF;TRF: Em 25/05/2016 a turma julgou nos termos do voto da relatora; Em 26/04/2017 Embargos rejeitados; Em 13/04/2018 conclusos para exame de admissibilidade. Em 29/01/2019 Processo em sobrestado aguardando decisão de repercussão geral no STF.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0057732-36.2012.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0057732-36.2012.4.01.3400
Pagamento do auxílio alimentação nos afastamentos considerados efetivo exercício  
ResumoAção visando declarar, durante os afastamentos considerados como de efetivo exercício, o recebimento do auxílio alimentação.
SituaçãoJF: Sentença sem exame do mérito (falta de pressupostos processuais) em 13/05/2015, o magistrado sentenciou o feito entendendo pela ilegitimidade da FENAPRF, sob fundamento de que essa entidade representa sindicatos não servidores diretamente.TRF: Em 06/07/2016 negado provimento da apelação; Em 03/08/2016 Acórdão publicado; Recurso apresentado; Em 12/08/2016 Embargos de declaração opostos pela FENAPRF; Em 03/05/2017 à turma por unanimidade rejeitou os embargos de declaração; Em 23/05/2017 Acórdão publicado; Em 02/08/2017 Recurso Especial apresentado;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0075060-42.2013.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0075060-42.2013.4.01.3400
Auxílio Transporte 
ResumoAção visando a não incidência do desconto de 6% sobre o benefício do auxílio transporte e pagamento independentemente da apresentação de comprovantes de despesas e utilização de meios próprios.
SituaçãoJF: Sentença Procedente do Juiz, fixando: Não incidência da cobrança de 6% sobre o subsídio por falta de amparo; possibilidade de outros meios de transporte, sem necessidade de comprovação; pagamento das parcelas apuradas após novembro de 2012, diretamente através do Mandado de Segurança;TRF: Em decorrência da limitação aos servidores ingressos até novembro de 2012, diante dessa decisão posterior a sentença, ingressamos com agravo de instrumento na qual ainda não teve julgamento;Em relação aos valores vencidos durante a tramitação da demanda, ingressamos com a execução provisória, que foi extinta, considerando o magistrado que dependeria do trânsito em julgado, sendo pago através de RPV e precatório. Diante dessa sentença extintiva apresentamos recurso de apelação.Recurso de Apelação com apresentação favorável pelo MPF. Recentemente a União apresentou petição avulsa alegando que a FENAPRF não seria parte legítima para representar os sindicatos. A apelação está pendente de apreciação.  
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0057388-55.2012.4.01.3400SentençaMovimentação TRF – Processo: 0057388-55.2012.4.01.3400Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Movimentação Agravo de Instrumento – Processo: 0039271-60.2014.4.01.0000Movimentação Execução Provisória – Processo: 0001195-49.2014.4.01.3400
Pagamento de ajuda de custo em remoções no interesse da administração
ResumoAção visando declarar o interesse público para a efetivação das remoções para o Estado do Paraná oriundos do I e II Concurso Nacional de Remoções, para fins do pagamento da ajuda de custo.
SituaçãoJF: Em 14/06/2019 Sentença pedido improcedente; Migrado ao PJE;Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0047547-02.2013.4.01.3400Movimentação JF – Processo: 0047547-02.2013.4.01.3400
Revisão das pensões (reajuste)
ResumoAção visando requerer a revisão dos valores das pensões instituídas pelos PRFs, com vistas a proporcionar o pagamento do benefício em obediência às normas constitucionais e infraconstitucionais, adequando-os às garantias decorrentes das EC 41/2003, 47/2005, bem como das Leis 11.358/2006, 11.784/2008 e 12.342/2010.
SituaçãoJF: Proferida sentença julgando parcialmente o pedido e extinguindo o processo com resolução de mérito (artigo 269,inciso I. do CPC), para condenar a União a reajustar os proventos e pensões dos substituídos da autora, que tenham se aposentado sob a égide da EC 41/2003 e que não tenham sido contemplados pelo princípio da paridade, de acordo com os mesmos índices de reajuste que foram aplicados aos benefícios do Regime Geral de Previdência Social no período de fevereiro de 2004 a dezembro de 2007, bem como a pagar as diferenças daí decorrentes, observada a prescrição das parcelas anteriores a 26 de agosto de 2005 (01/07/2013). A Federação interpôs recurso de Apelação (14/08/2013). A União interpôs recurso de Apelação (06/11/2013). Processo remetido ao Tribunal Regional Federal da 1ª Região (14/03/2014);TRF: Proferida decisão que deu parcial provimento à Apelação da Fundação e negou provimento à Apelação da União (16/10/2019). A União opôs Embargos de Declaração (12/12/2019). Processo recebido no Gabinete do Desembargador Jamil Rosa (06/02/2020).Atualizado em 02/09/2020.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0041116-54.2010.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0041116-54.2010.4.01.3400
Pagamento do auxílio saúde (Atrasados)
ResumoAção visando declarar cobrança dos valores de auxílio indenizatório à saúde, para servidores e filiados que possuíam planos de saúde diversos dos conveniados com o DPRF.
SituaçãoJF: Sentença com julgamento do mérito com pedido improcedente em 05/05/2014;TRF: Remetido ao TRF (apelação) em  20/08/2014. Conclusão para relatório e voto em 18/12/2014;
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0032051-64.2012.4.01.3400Movimentação TRF – Processo: 0032051-64.2012.4.01.3400
Ações Relativas a Direitos Diversos
Embarque Armado
ResumoSob a coordenação da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), os Sindicatos Regionais filiados (SinPRF) impetraram Mandados de Segurança Coletivos (MSC) contra a INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 106-DG/PF, DE 9 DE AGOSTO DE 2016 que retirava dos Policiais Rodoviários Federais o direito de embarcar em aeronaves comerciais com seu armamento.Obs¹.: A estratégia inicial para não haver nenhuma intercorrência que viesse a atrasar o resultado pretendido (concessão da liminar) foi a de ajuizar um MSC para cada sindicato, sendo que, após a distribuição do primeiro, em todos os demais foi pedida a distribuição para a mesma vara federal. Dessa forma, buscamos que o mesmo entendimento fosse estendido a todos, não obstante a decisão proferida já prever a suspensão dos efeitos da referida IN.Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Situação
ProcessosEssa demanda perdeu o objeto, pois a IN 106/2016-DG/PF foi revogada pela IN 127/208-DG/PF, a qual regulamenta, no âmbito da Polícia Federal, a Resolução 461/2018 da ANAC.  SINPRF/AL – Processo nº 1007760-41.2016.4.01.3400 Extinto o processo sem resolução do mérito. (Deferida em 13/11/2018)SINPRF/AM – Processo nº 1007323-97.2016.4.01.3400 (Deferida em 05/09/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança.Após sentença que denegou a segurança pleiteada, foi interposto recurso de apelação, que teve provimento negado.SINPRF/BA – Processo nº 1007393-17.2016.4.01.3400 (Deferida em 28/09/2016);SINPRF/CE – Processo nº 1007321-30.2016.4.01.3400 (Deferida em 14/09/2016);SINPRF/DF – Processo nº: 1007326-52.2016.4.01.3400 (Deferida em 01/09/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança.SINPRF/ES – Processo nº 1007349-95.2016.4.01.3400; (Indeferimento da tutela provisória pleiteada em 30/11/2016) Contra a decisão, o sindicato interpôs agravo de instrumento, com pedido de tutela antecipada recursal. Por fim, sobreveio sentença, denegando a segurança. Desta forma, estaremos interpondo o Recurso de Apelação.SINPRF/GO – Processo nº 1006964-50.2016.4.01.3400 (Deferida em 24/08/2016);Interposição de agravo de instrumento pela parte contrária; Estaremos apresentando as devidas contrarrazões ao recurso interposto, pugnando por sua negativa de provimento.SINPRF/MA – Processo nº 1007328-22.2016.4.01.3400 (Deferida em 22/09/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança.SINPRF/MG – Processo nº 1007335-14.2016.4.01.3400 (Indeferimento da tutela provisória pleiteada em 28/11/2016) Dessa forma, se faz necessário a devida interposição de recurso de agravo de instrumento, a fim de levar a situação a análise do tribunal em 2ª instância.SINPRF/MS – Processo nº 1007502-31.2016.4.01.3400 (Deferida em 06/09/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Após sentença que denegou a segurança pleiteada, foi interposto recurso de apelação, que teve provimento negado.SINPRF/MT – Processo nº 1007417-45.2016.4.01.3400 (Deferida em 06/09/2016); Tivemos sentença confirmando a liminar anterior; Diante da sentença de procedência, tivemos interposição de recurso de apelação pela autoridade coatora. Dessa forma, estaremos apresentando as devidas contrarrazões a tal recurso, pugnando por sua inadmissão.SINPRF/PA-AP – Processo nº 1007365-49.2016.4.01.3400; (Deferida em 28/11/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança. Sobreveio acórdão da 6ª turma do TRF1 negando provimento para a apelação.SINPRF/PB – Processo nº 1007469-41.2016.4.01.3400 (Deferida em 05/09/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança. Sobreveio acórdão da 6ª turma do TRF1 negando provimento para a apelação. Negado provimento aos embargos de declaração opostos em face dos acórdão que negaram provimento às apelações interpostas nos autos dos mandados de segurança.SINPRF/PE – Processo nº 1007339-51.2016.4.01.3400 (Deferida em 09/09/2016);Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança.SINPRF/PI – Processo nº 1007344-73.2016.4.01.3400 (Deferida em 25/10/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança.SINPRF/PR – Processo nº 1007406-16.2016.4.01.3400 (já declinada a competência p/ 4a VF); requerendo a homologação da desistência do mandado de segurança, sobreveio acórdão rejeitando os embargos de declaração antes opostos, sem analisar o referido pedido de desistência. Diante disso, opusemos embargos de declaração informando tal omissão e requerendo a homologação do pedido de desistência do mandado de segurança.SINPRF/RJ Processo: 1006996-55.2016.4.01.3400 (Deferida em 06/09/2016);SINPRF/RN – Processo nº 1007351-65.2016.4.01.3400; (Deferida em 09/03/2017); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança. Fomos intimados de acórdão extinguindo o processo sem resolução de mérito, ficando prejudicada a apelação por perda superveniente do objeto da ação, considerando que posteriormente à interposição da apelação sobreveio a publicação da Resolução da ANAC n. 461, de 15 de janeiro de 2018.SINPRF/RO-AC – Processo nº 1007414-90.2016.4.01.3400 (Deferida em 06/09/2016);SINPRF/RR – Processo nº 1007561-19.2016.4.01.3400; (Deferida)  Tivemos decisão procedente no processo em questão, deferindo a tutela aqui pleiteada. Porém, considerando a suposta ilegitimidade ativa ad causam, julgou extinto o processo quanto à FENAPRF sem resolução do mérito, com fundamento no art. 485, VI do CPC. Isso porque considerou que a FENAPRF não pode demandar em Juízo em nome aos sindicatos à ela associados, conforme jurisprudência do TRF1. Foram opostos embargos de declaração, sobrevindo decisão não os conhecendo ao fundamento de que visavam a reforma do julgamento, já que inexistente omissão na decisão embargada. Desta forma, estaremos interpondo o recurso de Agravo de Instrumento. Sobreveio sentença denegando a segurança requerida, acolhendo o parecer do Ministério Público Federal, que fundamenta como devida e correta a restrição de embarque armado a policiais federais. Irresignados quanto a essa decisão, vamos interpor recurso de apelação.SINPRF/RS – Processo nº 1007452-05.2016.4.01.3400 (Deferida em 05/09/2016); A medida liminar restou deferida, determinando-se a suspensão dos efeitos da Instrução Normativa nº 106-DG/PF/2016. Contudo, sobreveio sentença denegando a segurança e, consequentemente, cassando a liminar deferida anteriormente, adotando-se como razão de decidir o parecer do Ministério Público Federal, o qual foi transcrito na íntegra. Diante disso, foi interposto recurso de apelação, no qual sobreveio acórdão extinguindo o processo, sem resolução de mérito, pela perda superveniente do interesse de agir, tendo em vista que, posteriormente à interposição do recurso, a ANAC publicou a Resolução nº 461, de 15 de janeiro de 2018, regulamentando o assunto.SINPRF/SC – Processo nº 1007764-78.2016.4.01.3400; A sentença publicada dia 31/10/17 denegou a segurança sob o fundamento de que o ingresso do passageiro armado, na condição de servidor governamental, deve ser no exercício de sua atividade pública, assim o Decreto 9168/2010, art. 152, prevê a possibilidade de pessoas portando armas de fogos em aeronaves restringe-se somente às necessidades de serviço. Ainda, o julgador afirmou que mesmo que o servidor em serviço necessite de autorização para embarcar armado, essa autorização é de competência da PF. Assentou, por fim,  que o porte de arma concedido a determinados servidores nada tem a ver com defesa pessoal, mas pura e simplesmente com a necessidade do serviço. Diante disso, será interposto recurso de Apelação nos autos.SINPRF/SE – Processo nº 1007358-57.2016.4.01.3400 (Deferida em 18/10/2016); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, será interposto recurso de Apelação nos autos. Assim, sobreveio acórdão para negar provimento à apelação. Negado provimento aos embargos de declaração opostos em face dos acórdão que negaram provimento às apelações interpostas nos autos dos mandados de segurança.SINPRF/SP – Processo nº 1007448-65.2016.4.01.3400 (Deferida em 23/09/2016); Tivemos decisão procedente no processo em questão; Tivemos interposição de recurso de apelação pela autoridade coatora. Dessa forma, estaremos apresentando as devidas contrarrazões a tal recurso, pugnando por sua inadmissão.SINPRF/TO – Processo nº 1007450-35.2016.4.01.3400. (Deferida em 24/02/2017); Em que pese tenha sido deferida a medida liminar, determinando-se a suspensão dos efeitos da instrução normativa, sobreveio sentença do Juízo da 4ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal, denegando a segurança. Diante disso, serão interpostas apelações nos autos dos mandados de segurança.Fomos intimados de acórdão extinguindo o processo sem resolução de mérito, ficando prejudicada a apelação por perda superveniente do objeto da ação, considerando que posteriormente à interposição da apelação sobreveio a publicação da Resolução da ANAC n. 461, de 15 de janeiro de 2018.
Indenização de de Fronteira
ResumoSob a coordenação da Federação dos Policiais Rodoviários Federais, e patrocinado por Cassel Ruzzarin Santos Rodrigues Advogados, os respectivos Sindicatos Regionais relacionados abaixo, ajuizaram ação ordinária a fim de obter o pagamento da referida verba, tendo em vista a lacuna administrativa que se perdura desde 2013 no tocante a regulamentação administrativa das disposições da Lei nº 12.855 e o prejuízo aos servidores que desempenham suas funções nessas localidades.Após o êxito na grande maioria das ações com a concessão de liminares para o pagamento da indenização, a União moveu um pedido de suspensão de liminar na Corte Especial do TRF1 (0062727-68.2016.4.01.0000) ao qual inicialmente não obteve êxito com o seu indeferimento em 26/10/2016. Irresignada a União manejou pedido de reconsideração em agravo regimental, onde então o Presidente do TRF1 reconsiderou  sua decisão anterior para suspender todas as liminares concedidas em 1ª instância. Interpusemos agravo interno contra a decisão que, em juízo de reconsideração, suspendeu as liminares concedidas pelo juízo de 1º grau (processo nº 0062727-68.16.4.01.0000). O recurso aguarda julgamento.
SituaçãoMovimentação JF:SINPRF/AL  – Processo: 0045328-11.2016.4.01.3400   –  5º Vara  Federal – Liminar deferida em 08/09/16; Do julgamento da antecipação dos efeitos da tutela, entendeu, também, o magistrado pela conexão do processo principal e as ações 16049-14.2015.4.01.3400 e 56800-43.2015.4.01.3400.Irresignada frente a tal situação, a União interpôs Agravo de Instrumento no qual alega, em suma, a inexistência de conexão, a incompetência absoluta do juízo, violação à Súmula Vinculante nº 37, Violação do Princípio da Legalidade das despesas públicas e Periculum in mora reverso. Pugnou também pela atribuição do efeito suspensivo ao recurso. Interposição de agravo de instrumento pela parte contrária; Rejeição quanto aos embargos de declaração opostos neste processo quanto a decisão que concedeu a tutela antecipada. Dessa forma, se faz devido a interposição de recurso de agravo de instrumento.SINPRF/AM – Processo: 0048131-64.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal –  Liminar deferida em  09/09/16; Rejeição quanto aos embargos de declaração opostos neste processo quanto à decisão que concedeu a tutela antecipada. Dessa forma, se faz devido a interposição de recurso de agravo de instrumento.SINPRF/CE – Processo: 0045334-18.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 09/09/16;SINPRF/DF – Processo: 0048130-79.2016.4.01.3400  –  Indeferida a conexão e a liminar 1ª VF (será manejado recurso) em 29/08/16; Dessa forma, se faz necessário interposição do devido recurso de agravo de instrumento, também salientando a necessidade de redistribuição deste feito na 1ª instância. Fomos intimados no processo, para apresentar réplica à contestação. Após apresentação de contestação e réplica, sobreveio decisão monocrática extinguindo o processo, sem resolução do mérito, por ilegitimidade ativa ad causam do SINPRF-DF em relação aos pleitos formulados nas alíneas “c.1”, “c.2”, “c.3” e “c.4” que digam respeito aos substituídos Policiais Rodoviários Federais que não laboram no DF, excetuados aqueles que exerçam o patrulhamento ostensivo nas rodovias federais nas proximidades do DF, mas que estejam lotados nas delegacias ou unidades operacionais do Departamento de Polícia Rodoviária Federal no Distrito Federal. Na mesma oportunidade também foi determinada a suspensão da tramitação do processo principal até o trânsito em julgado do Recurso Especial 1.617.086. Dessa forma, iremos interpor agravo de instrumento a fim de manter com que os PRFs não residentes no DF sejam também abarcados por futura decisão no processo. Proc. nº 0057228-06.2016.4.01.0000 – TRF 1ª Região: Trata-se de agravo de instrumento (proc. principal nº 0048130-79.2016.4.01.3400) com pedido de antecipação da tutela recursal interposto contra decisão interlocutória que, por sua vez, indeferiu o pedido de distribuição por dependência (conexão) à ação nº 0056800-43.2015.4.01.3400 e o pedido de tutela provisória de urgência. Pleiteamos no AI a redistribuição do feito principal à 5ª Vara Federal da SJDF e o pagamento imediato da indenização de fronteira aos substituídos. A União apresentou contrarrazões ao agravo de instrumento.Sobreveio decisão da Desembargadora Federal Gilda Sigmaringa Seixas confirmando monocraticamente a decisão agravada. Conforme síntese acima, via decisão monocrática tivemos manutenção da decisão que não remeteu o feito, por dependência, à 5ª Vara Federal. Dessa forma, estaremos interpondo o devido recurso de agravo interno, a fim de levar a situação ao colegiado do tribunal.Concluso para relatório e Voto.SINPRF/ES – Processo: 0045326-41.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 13/09/2016; Estaremos interpondo agravo de instrumento ante a decisão que rejeitou nossos embargos de declaração.SINPRF/GO – Processo: 0045332-48.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal –  Liminar deferida em 09/09/16; Estaremos interpondo agravo de instrumento ante a decisão que rejeitou nossos embargos de declaração.SINPRF/MA – Processo: 0045325-56.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 13/09/2016; Estaremos interpondo agravo de instrumento ante a decisão que rejeitou nossos embargos de declaração.SINPRF/MG – Processo: 0045329-93.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 08/09/16;SINPRF/PA-AP – Processo: 0045331-63.2016.4.01.3400 – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 09/09/16; Estaremos interpondo agravo de instrumento ante a decisão que rejeitou nossos embargos de declaração.SINPRF/PE – Processo: 0045333-33.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 09/09/16; Estaremos interpondo agravo de instrumento ante a decisão que rejeitou nossos embargos de declaração.SINPRF/PI – Processo: 0048129-94.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 14/09/2016;SINPRF/RJ – Processo: 0048128-12.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 09/09/16; Rejeição quanto aos embargos de declaração opostos neste processo quanto à decisão que concedeu a tutela antecipada. Dessa forma, se faz devido a interposição de recurso de agravo de instrumento.SINPRF/RN – Processo: 0045330-78.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 09/09/16;SINPRF/SC – Processo: 0045327-26.2016.4.01.3400  – 5º Vara  Federal – Liminar deferida em 08/09/16;Rejeição quanto aos embargos de declaração opostos neste processo quanto à decisão que concedeu a tutela antecipada. Dessa forma, se faz devido a interposição de recurso de agravo de instrumento.SINPRF/SE – Processo: 0046874-04.2016.4.01.3400  – 3º Vara  Federal – Indeferida a liminar em 16/11/2016; Dessa forma, se faz necessário a devida interposição de recurso de agravo de instrumento, a fim de levar a situação a análise do tribunal em 2ª instância. Nesse contexto, sobreveio sentença para julgar improcedente a demanda.Diante disso, interporemos recurso de apelação, a fim de reverter no Tribunal o entendimento adotado pelo juízo de primeira instância.SINPRF/SP – Processo: 0053579-18.2016.4.01.3400 – 6º Vara  Federal  – Indeferida a liminar em 17/11/2016; Dessa forma, se faz necessário a devida interposição de recurso de agravo de instrumento, a fim de levar a situação a análise do tribunal em 2ª instância. Após requeremos a remessa dos autos para a 5ª Vara Federal do Distrito Federal (devido a tramitação de processo idêntico), sobreveio decisão indeferindo o pedido, pois não averiguou nenhuma hipótese para reunir na mesma Vara os processos. Ainda, suspendeu o processo até a decisão do Recurso especial nº 1.617.086, no qual tramita no Superior Tribunal de Justiça, que se trata da mesma demanda. Destaca-se que neste REsp já foi feito pedido de intervenção em nome de diversos SINPRFs. Assim, o processo ficará suspenso até superveniente decisão do STJ sobre o tema.SINPRF/TO – Processo: 0026285-25.2015.4.01.3400  – 6º Vara  Federal – Decisão de mérito – Improcedente o pedido em 25/08/16; Tivemos rejeição aos embargos de declaração opostos neste processo. Após prolação de sentença de improcedência foram opostos embargos de declaração especialmente para que o juízo remetesse os autos à 5ª Vara Federal para a realização de composição/mediação. Contudo, não obtivemos sucesso. Dessa forma, sobreveio nova decisão deferindo o pedido de suspensão do feito realizado pela União a fim de aguardar o julgamento do REsp 1.617.086/PR que discute a pretensão dos autos, e no qual já fora realizado pedido de intervenção em nome de alguns SINPRFs.
Calibre 9x19mm – Arquivado
ResumoSob a coordenação da Federação dos Policiais Rodoviários Federais, e patrocinado por Cassel Ruzzarin Santos Rodrigues Advogados, os respectivos Sindicatos Regionais relacionados abaixo, ajuizaram ação coletiva a fim de que seja permitida a aquisição da arma de uso restrito, de calibre 9x19mm, para uso particular, além daqueles já autorizados, anulando-se parcialmente o artigo 2º  da Portaria nº 02 – COLOG, de 10 de fevereiro de 2014 (anexo), do Comando Logístico do Exército Brasileiro.Sindicatos: SINPRF/RS, SINPRF/MT, SINPRF-GO, SINPRF/TO, SINPRF/SE, SINPRF/MG, SINPRF/AM, SINPRF/PB, SINPRF/RJ e SINPRF/AL.
SituaçãoJF: Em 10/05/2017 Tutela antecipada indeferida. Em 23/10/2017 Conclusos para sentença; Em 07/12/2017 tivemos publicada sentença de extinção deste feito;Perdeu o objeto, com a superveniência da nova normatização do Comando do Exército Brasileiro. Trata-se da Portaria nº 967, de 8 de agosto de 2017, que possui o seguinte texto:“Art. 1º Autorizar a aquisição, na indústria nacional, de até 2 (duas) armas de uso de fogo de porte de uso restrito para uso particular, dentre os calibres .357 Magnun, .40 S&W, .45 ACP ou 9mm, em qualquer modelo, por policial rodoviário federal, policial ferroviário federal, policial civil, policial e bombeiro militar dos Estados e do Distrito Federal.”O normativo em questão revogou a Portaria do Comandante do Exército nº 1.042, de 10 de dezembro de 2012, a qual não possuía a previsão “ou 9mm” destacada acima, bem como foi regulamentada pela Portaria nº 02 – COLOG de 2014.Cabe ainda ao COLOG emitir nova Portaria para regulamentar as disposições da Portaria do Comando do Exército, no entanto, àquela não cabe limitar o regramento da Portaria nº 967. Assim, por ora, não subsiste interesse nessas demandas.
Documentos e LinksMovimentação JF – Processo: 0019762-26.2017.4.01.3400
Revisão geral anual mínima de 1%
ResumoSob a coordenação da Federação dos Policiais Rodoviários Federais, e patrocinado por Cassel Ruzzarin Santos Rodrigues Advogados, os respectivos Sindicatos Regionais relacionados abaixo, ajuizaram ação coletiva, sobre a revisão geral anual mínima de 1%.Sindicatos: SINPRF/RJ, SINPRF/AL, SINPRF/AM, SINPRF/DF, SINPRF/ES, SINPRF/MG, SINPRF/MT, SINPRF/PA, SINPRF/PB, SINPRF/PE, SINPRF/SC, SINPRF/SE, SINPRF/TO, SINPRF/BA, SINPRF/RS.Processo concluso para julgamento (03/05/2020)
SituaçãoJF: Sobreveio sentença julgando improcedentes os pedidos da inicial, sob o fundamento de que a Súmula Vinculante nº 37 do STF veda ao Poder Judiciário conceder reajuste com base no princípio da isonomia, bem como cita que no RE 905.357/RR, em sede de repercussão geral, o STF reconheceu a impossibilidade do pedido de revisão remuneratória geral anual mínima de 1%, tendo em vista que ela se encontra prevista unicamente na Lei de Diretrizes Orçamentárias, sendo que seria necessária, também, a dotação na Lei Orçamentária Anual. Por fim, indeferiu o pedido de isenção de custas e demais despesas processuais, inclusive de honorários advocatícios, e condenou as autoras ao pagamento de honorários sucumbenciais em 10% sobre o valor da causa. Diante da decisão desfavorável, iremos interpor recurso de apelação.
Documentos e LinksProcesso: 1012167-56.2017.4.01.3400Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.
Ação Coletiva para anular a contribuição de 14%
ResumoSob a coordenação da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), os Sindicatos Regionais filiados (SinPRF) impetraram Ação Civil Coletiva com pedido de tutela de urgência para evitar o aumento indicado para fevereiro de 2018. No mérito, argui-se a inconstitucionalidade incidental da alíquota de 14%  e sua nulidade, em razão da violação de uma série de regras constitucionais e tributárias.Andamento: Sobreveio sentença indeferindo a petição inicial e julgando extinto o processo sem resolução do mérito, julgando-o erroneamente como se tratasse de ação civil pública. Diante disso, opusemos embargos de declaração, postulando o saneamento da contradição. Contudo, sobreveio decisão para rejeitar os aclaratórios, mantendo a sentença embargada.

Iremos interpor recurso de apelação, a fim de reformar a sentença que indeferiu a inicial para que seja dado regular prosseguimento à ação, com o julgamento do mérito da demanda. Concluso para Julgamento.
Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Processo nº: 1016440-78.2017.4.01.3400 Tramitação: 7ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Postergação do reajuste pela MP 805
ResumoSob a coordenação da Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF), os Sindicatos Regionais filiados (SinPRF) impetraram Ação Coletiva para cobrança dos valores no tempo programado pela lei original, sem a postergação. No mérito, defende que o direito da categoria à parcela de janeiro de 2018 e janeiro de 2019, que foi adquirido com a previsão legal original.Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Sobreveio decisão para indeferir a tutela provisória de urgência, razão pela qual interpusemos agravo de instrumento a fim de reverter tal entendimento no Tribunal. Informo que, devidamente citada, a ré apresentou contestação. Diante disso, apresentaremos a devida réplica, rechaçando todos os argumentos da União. Além disso, destacaremos que a MP 805 teve sua eficácia suspensa (tendo sido sucedida pela MP 849), o que acarreta a perda superveniente do objeto da ação. Assim, requeremos a extinção do feito, sem resolução de mérito, com a condenação da União ao pagamento das custas e honorários. Conclusos para julgamento.Processo nº: 1016603-58.2017.4.01.3400 Tramitação: 2ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Ação contra as propagandas da Reforma da Previdência
ResumoAção Civil Pública contra o injusto dano à imagem da categoria causado por propaganda veiculada pelo Executivo Federal que, em sua tentativa de aprovar a Reforma da Previdência (Proposta de Emenda à Constituição 287, de 2016), atribui ao funcionalismo público supostos privilégios que atentariam contra as Contas Públicas.Processo nº: 1017360-52.2017.4.01.3400 Tramitação: 2ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.Obs².: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Proferida decisão que indeferiu a liminar sob o argumento que que o autor não apontou a existência de informações objetivamente falsas na campanhapublicitária do governo. Com efeito, a argumentação deduzida na petição inicial revela a discordância do Sindicato demandante a respeito da reforma proposta e sua insatisfação com eventual adesão da população ou aprovação do Congresso Nacional. Nada há na petição inicial que demonstre que a aludida propaganda, ao invés de educar, informar ou orientar, deseduca, desinforma ou desorienta (14/01/2018). A Federação interpôs Agravo de Instrumento (22/08/2018). .Agravo de Instrumento nº 1004985-97.2018.4.01.0000Tramitação: 5ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª RegiãoRelator: Desembargadora Federal Daniele Maranhão CostaObjeto: Recurso interposto pela Federação contra decisão queindeferiu a tutela provisória.Situação: Proferida decisão que julgou prejudicada a ação em razão daperda superveniente de seu objeto (25/04/2018). Processo arquivado(01/06/2018).
Ação coletiva em litisconsórcio para afastar cobrança de cota-parte dos substituídos no custeio do auxílio pré-escolar
ResumoAção em favor dos servidores que possuem dependentes com até cinco anos de idade, pelo que fazem jus ao auxílio pré-escolar (auxílio-creche), a fim de que percebam esse benefício sem que seja descontada a cota-parte de custeio instituída pelo Decreto 977/1993. Pugna-se, ainda, pela devolução dos valores indevidamente descontados dos servidores, excetuadas as parcelas eventualmente prescritas.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Fomos intimados sobre sentença julgando procedentes os pedidos, para determinar à ré que se abstenha de descontar dos vencimentos auferidos pelos substituídos da parte autora a cota parte destinada ao custeio do auxílio pré-escolar e/ou auxílio-creche , e condeno a União à restituição dos valores indevidamente descontados a tal título dos substituídos da parte autora, respeitada a prescrição quinquenal, com juros e correção monetária a serem aplicados de acordo com o manual de cálculos da Justiça Federal.Ainda, foi deferida a tutela de urgência, para determinar que a União cesse imediatamente os descontos procedidos nas folhas de pagamento dos substituídos da parte autora destinados ao custeio do auxílio pré-escolar.Processo nº: 1017302-15.2018.4.01.3400 e foi distribuído para a 17ª Vara Federal Cível da SJDF.
Isenção Inativos
ResumoAção coletiva em favor da categoria para que seja assegurada a isenção das taxas de registro e porte de arma de fogo, referente à emissão, renovação, transferência e segunda via, para os substituídos aposentados. Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Após apresentação de contestação e réplica, fomos intimados para apresentarmos, provas.Processo nº: 1019294-11.2018.4.01.3400 e foi distribuído para a 16ª Vara Federal Cível da SJDF.
Ação contra Resolução da ANAC embarque armado
ResumoAção coletiva para agir em favor da categoria para que seja anulado o art. 79 da Resolução ANAC nº 461, de 25 de janeiro de 2018, que trata do embarque armado em voos, bem como o inciso I e parágrafo único do artigo 4º e a parte final do § 3º do artigo 5º, ambos da IN 127-DG/PF, de 2018, tendo em vista que ferem o princípio da isonomia, ao estabelecerem tratamento diferenciado entre policiais federais os demais agentes públicos que possuem porte de arma em razão do ofício.
SituaçãoObs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Assim, a parte autora protocolou emenda à inicial, a fim de esclarecer a situação registral do SINPRF/RR bem como, em caráter subsidiário, que fosse reconhecida a substituição dos Policiais Rodoviários Federais do Estado de Roraima pelo SINPRF/AM e a inclusão no polo ativo a FEDERAÇÃO NACIONAL DOS POLICIAIS RODOVIÁRIOS FEDERAIS – FENAPRF, o que foi considerado intempestivo eis que apresentada após a contestação.Diante disso, opusemos Embargos de Declaração, os quais foram rejeitados na decisão sob análise, os quais foram rejeitados ao fundamento de que não haveria omissão a ser sanada já que a decisão estaria em consonância com o entendimento acerca do tema.Fomos intimados sobre a decisão que rejeitou os embargos de declaração ao fundamento de que não haveria omissão a ser sanada já que a decisão estaria em consonância com o entendimento acerca do tema.Diante disso, não iremos recorrer, haja vista que o feito perdeu o objeto em decorrência da regulamentação posterior pela ANAC. Assim, tem-se a ação por finalizada. Processo nº: 1024885-51.2018.4.01.3400  e foi distribuído à 13ª Vara Federal Cível de Brasília.
Curso de formação dos PRF’s deve ser considerado para fins de data de ingresso no cargo.
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FenaPRF ingressou com ação coletiva contra a União buscando a fixação da data de ingresso no cargo público de Policial Rodoviário Federal correspondente àquela de ingresso no Curso de Formação Profissional. Isso porque a Lei n° 9.624/1998, ao disciplinar sobre a fase do curso de formação, garante que, uma vez ocorrida a aprovação no curso, o tempo destinado ao seu cumprimento será computado como de efetivo exercício, excetuando apenas para fins de estágio probatório, estabilidade, férias e promoção. A partir dessa correta fixação da data, a Federação busca afastar as regras mais gravosas instituídas pela Reforma da Previdência, promovida pela Emenda Constitucional nº 103/2019, aos Policiais Rodoviários Federais que foram nomeados em dezembro de 2019, mas que já estavam no curso de formação desde setembro de 2019. Para os servidores policiais civis da União que ingressaram até a entrada em vigor da Emenda nº 103, o seu artigo 5º trouxe uma regra diferenciada, determinando expressamente a aplicação da Lei Complementar nº 51/1985, observada a idade mínima. Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Fomos intimados sobre a contestação apresentada pela ré, que alega, em suma, que seria caso de ilegitimidade ativa da Federação para a defesa em juízo de interesses de servidores filiados a sindicatos, ante a ausência de amparo na lei e na Constituição.Destaca que o ajuizamento de ação pela Federação resultaria em irrazoável margem para manipulação da justiça, com execução de Acórdão de um ou outro ente sindical, em regime de substituição das mesmas pessoas físicas bem como no ajuizamento de ações dúplices, enriquecimento ilícito e dificuldade de execução do título.No mesmo sentido, sustenta que a Federação, ao ajuizar ação em favor dos filiados dos sindicatos, estaria atuando na base territorial dos sindicatos, em violação ao artigo 8º, da CFRB.Ainda em sede preliminar, sustenta ser caso limitação dos efeitos da sentença, que deverá produzir efeitos unicamente com relação aos substituídos domiciliados na Seção Judiciária do Distrito Federal quando da propositura da ação, ante a incidência do artigo 2º-A, da Lei nº 9.494.Adentrando ao mérito, a União defende que o momento para cumprimento dos requisitos para investidura em cargo público é o momento da posse, etapa na qual deve ser requerida a apresentação dos documentos e certificações necessários, nos termos do art. 42, do Decreto nº 9.739 e da Súmula 266, do STJ.Assim, o candidato participante do curso de formação ainda não possui investidura em cargo público, tornando-se servidor apenas mediante a posse, que deve se dar de acordo com a Lei 8.112/90.Desta feita, não haveria que se falar em violação aos direitos dos substituídos da FENAPRF, uma vez que os atos da Administração são regidos pelos princípios da legalidade, moralidade, entre outros.Diante disso, iremos apresentar réplica, reiterando nossos argumentos iniciais, no intuito de afastar as alegações da Ré.O processo recebeu o número nº 1034735-61.2020.4.01.3400 e tramita na 16ª Vara Federal Cível da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Ação contra a obrigatoriedade de teste físico para PRF.
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FENAPRF e seus sindicatos filiados ajuizaram ação coletiva a fim de assegurar aos Policiais que optarem pela não realização do TAF, neste ano, a permanência ou inscrição no programa de Educação Física Institucional, o pagamento da Indenização pela Flexibilização do Repouso Remunerado e a adequada Avaliação de Desempenho Individual. O Teste será realizado no período de 05/08/2020 a 30/11/2020, conforme o Edital n° 14/2020.   Ocorre que exige a preparação do condicionamento físico, e, para a maioria dos servidores, isso não foi possível diante do fechamento de academias e de outros locais destinados à preparação física. Dessa forma, não se mostra razoável que os servidores sejam expostos de forma desnecessária diante do risco proveniente da pandemia da COVID-19. Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Em continuidade às informações anteriores, informo que nosso pedido de antecipação de tutela recursal foi analisado e parcialmente deferido. Diante disso, é cabível a interposição de agravo interno, buscando o deferimento da tutela com relação aos demais servidores.O processo recebeu o n° 1051601-47.2020.4.01.3400 e foi distribuído à 3ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Regras do concurso de Remoção – SISNAR.
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FENAPRF, juntamente com os sindicatos filiados, ajuizou ação objetivando a imediata abertura do Processo Seletivo de Remanejamento Interno – SISNAR, na mesma quantidade de vagas e disponibilidade que o Processo Seletivo de Recrutamento. Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Sobreveio decisão indeferindo parcialmente a inicial, diante da ilegitimidade ativa da FENAPRF, ao fundamento de que a finalidade da Federação é representar as entidades que a compõem (sindicatos), não os membros que as integram (filiados). Diante disso, excluiu a FENAPRF do polo ativo, indeferiu parcialmente a inicial e decretou a extinção do processo sem julgamento de mérito em relação à entidade.Além disso, indeferiu a tutela de urgência ao fundamento de que, em juízo de cognição sumária, entendeu que foi garantida a oferta de vagas disponíveis aos servidores efetivos, antes da posse dos candidatos egressos de concurso externo, por meio dos processo seletivos de remanejamento e de recrutamento deflagrados no âmbito da Polícia Rodoviária Federal.Por fim, determinou a intimação do SINPRF/RR e SINPRF/AC para, no prazo de 15 dias, comprovar que possuem registro regular perante o Ministério do Trabalho.Diante disso iremos interpor agravo de instrumento sustentando a legitimidade da FENAPRF para figurar no polo ativo da demanda.O processo recebeu o n° 1051601-47.2020.4.01.3400 e foi distribuído à 3ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Exercício de atividades privadas remuneradas.
ResumoOs Sindicatos dos Policiais Rodoviários Federais ingressaram com ação coletiva buscando anulação da Instrução Normativa PRF nº 24/2020, a qual revogou atos que regulamentavam o exercício de atividades privadas, na área da saúde e magistério, pelos substituídos. Os atos, que estavam vigentes há cerca de 10 anos, autorizavam o exercício das atividades somente quando existisse compatibilidade de horários e não resultasse em prejuízos ao desempenho das atribuições policiais.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Protocolo efetuado.O processo recebeu o n° 1065575-54.2020.4.01.3400 e foi distribuído à 8ª Vara Federal Cível da SJDF.  
Concessão de Licença Capacitação.
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FenaPRF, juntamente com os sindicatos filiados, ajuizou ação objetivando anular disposições instituídas pelo Decreto n° 9.991, de 2019, atualizado, recentemente, pelo Decreto n° 10.506, de 2020. Trata-se de regulamentação do artigo 87 da Lei nº 8.112, de 1990, o qual confere aos servidores públicos federais o direito à licença para capacitação.Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Deferida parcialmente o pedido liminar, apenas para assegurar aos substituídos dos autores que formularam requerimento de licença capacitação a suspensão do respectivo prazo de gozo enquanto não examinados os pleitos pela autoridade administrativa. Fomos intimados sobre contestação apresentada pela União. Diante disso, iremos apresentar réplica.O processo recebeu o nº 1072687-74.2020.4.01.3400 e tramita na 13ª Vara Cível Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal.
Uso de Etilômetros e Riscos do COVID-19.
ResumoA Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais – FenaPRF impetrou mandado de segurança buscando suspender determinações contidas na Ordem de Serviço nº 117/2020, a qual instituiu a Operação Integrada de Segurança Viária, cujas atividades ocorrerão de dezembro de 2020 até fevereiro de 2021. Em razão do ato, determinou-se a exposição desnecessária dos policiais e cidadãos ao risco de contágio do novo coronavírus, pois se estabeleceu que os servidores devem convidar todos os condutores abordados a realizarem o teste de etilômetro, independentemente de ser um comando de alcoolemia.  Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Protocolo efetuado.O processo, distribuído à 3ª Vara Federal Cível da SJDF, recebeu o nº 1072358-62.2020.4.01.3400.
Processo de convocação educativa – PRF.
ResumoFederação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais e seus sindicatos de base pediram na Justiça que os policiais rodoviários não sejam obrigados a participarem presencialmente do Ciclo de Atualização Policial – CAP a partir do mês de março de 2021, tendo em vista em vista os riscos pandemia da Covid-19.Na ação, as entidades reconhecem que, em tempos ordinários, a atualização profissional do servidor público é sempre necessária e bem-vinda, sendo que, pela própria natureza das atividades, a presença do policial é justificável. No entanto, considerando a excepcionalidade do momento mundialmente vivido, impõe-se o cuidado de se manter apenas os serviços essenciais, urgentes e inadiáveis, sendo dispensável a atualização dos conhecimentos já adquiridos pelos policiais quando do ingresso e no decorrer da carreira pública..  Obs: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema de segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Andamento: Liminar indeferida. Fundamenta que, ao contrário do alegado pela parte autora, o CAP não possui inscrição obrigatória, sendo permitido o cancelamento de servidores com suspeita de contágio ou que não se sintam seguros para participar do curso, conclusão do ciclo ao longo de todo o período que é exigido como requisito de habilitação do policial, o que se conclui, por ora, apenas em dezembro de 2021.No mesmo sentido, destacou que a União informou que boa parte do CAP foi migrado para plataforma EAD bem como que, para as aulas presenciais, estão sendo utilizados preferencialmente espaços abertos, com a adoção de protocolo sanitário.O processo recebeu o número 1013956-51.2021.4.01.3400, tramita perante a 3ª Vara Federal Cível da SJDF
Acumulação de cargos
ResumoTrata-se de ação coletiva, com pedido de tutela de urgência, ajuizada em face da União objetivando, em síntese, declarar o direito dos substituídos ao exercício de atividades privadas quando não forem incompatíveis com o horário de trabalho e com o exercício do cargo de Policial Rodoviário Federal, observando-se as vedações ao conflito de interesse; Obs.: Os processos são eletrônicos e o site da Justiça Federal apresenta um sistema segurança que permite o acesso apenas após a confirmação de determinados caracteres. Assim, é necessário que após acessar a página de consulta seja inserido o número do processo desejado abaixo e confirmados os caracteres informados no momento do acesso.Atual situação dos seguintes processos:SINPRF/GO: 1069359-39.2020.4.01.3400: Pende decisão (petição em 26/1 juntando decisões e pedindo análise da tutela de urgência) Contestação 23/02, sem intimação para réplica;SINPRF/RS: 1069425-19.2020.4.01.3400: Contestação 17/03 – sem intimação para réplica; Liminar deferida parcialmente – 360 dias (8/02/2021 – ciência em 18/02); Agravo de instrumento: 1009378-60.2021.4.01.0000 (União): Agravo de instrumento da União provido, para cassar a liminar. Iremos opor Embargos de Declaração, com prazo para 29/11.SINPRF/PI: 1069406-13.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente – 360 dias (7/04/2021) pende ciência; Agravo de instrumento: 1015878-45.2021.4.01.0000 (União) Concedido efeito suspensivo ao AI da União, de forma a manter os efeitos da IN nº 24/2020 até ulterior julgamento colegiado. Iremos interpor Agravo Interno. SINPRF/RN: 1069421-79.2020.4.01.3400 Liminar deferida parcialmente – 360 dias (15/03/2021 – ciência em 25/03); Agravo de instrumento: 1012161-25.2021.4.01.0000 (União) Reembolso guia AI não interposto – Deferido o pedido de efeito suspensivo – agravo interno protocolado em 18/05;SINPRF/RO: 1069541-25.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente – 360 dias; Agravo de instrumento: 1029429-92.2021.4.01.0000 Contrarrazões apresentadas;SINPRF/SE: 1069431-26.2020.4.01.3400: Deferida parcialmente – 360 dias (4/02/2021 – ciência em 8/02); Agravo de instrumento: 1013945-37.2021.4.01.0000 (União) Dado provimento ao AI da União para cassar a decisão que concedeu a prorrogação dos efeitos da IN n.º 24/2020. Previsão de protocolo dos Embargos de Declaração em 29/11SINPRF/SP: 1069435-63.2020.4.01.3400 Liminar deferida parcialmente; Agravo de Instrumento: 1008850-26.2021.4.01.0000 (União) Dado provimento ao AI da União para cassar a decisão que concedeu a prorrogação dos efeitos da IN n.º 24/2020. Previsão de protocolo dos Embargos de Declaração em 29/11;SINPRF/PR: 1069411-35.2020.4.01.3400 Liminar deferida parcialmente – 360 dias (1º/02/2021 – ciência em 12/02) – União opôs ED em 23 de fevereiro;SINPRF/ES: 1069350-77.2020.4.01.3400  Contestação 28/03 – Será apresentada Réplica; Liminar indeferida (9/02/2021); Agravo de Instrumento: 1008991-45.2021.4.01.0000SINPRF/TO:  1069440-85.2020.4.01.3400 Indeferida (9/02/2021); Agravo: 1008829-50.2021.4.01.0000;SINPRF/AC: 1069722-26.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente – 360 dias (19/04/2021); Agravo de Instrumento: 1015890-59.2021.4.01.0000 (União): Concedido efeito suspensivo ao AI da União, de forma a manter os efeitos da IN nº 24/2020 até ulterior julgamento colegiado. Ciência em 31/05. Agravo Interno será protocolado; SINPRF/DF: 1069346-40.2020.4.01.3400: Contestação AGU (3/02/2021) e parecer MPF (4/02/2021) Liminar indeferida; Agravo de Instrumento: 1003122-04.2021.4.01.0000 Agravo de Instrumento desprovido. Vamos recorrer em EDs, protocolados até o dia 29/11; SINPRF/MG: 1069369-83.2020.4.01.3400:  Proferida sentença de improcedência. Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06; Liminar indeferida; Agravo de Instrumento: 1003121-19.2021.4.01.0000 Agravo de Instrumento desprovido. Não iremos recorrer pois o processo já foi sentenciado;SINPRF/RJ: 1069417-42.2020.4.01.3400:  Réplica apresentada em 13/05; Liminar indeferida; Agravo de Instrumento: 1003113-42.2021.4.01.0000 Agravo de Instrumento desprovido. Vamos recorrer em EDs;SINPRF/MA: 1069363-76.2020.4.01.3400: Proferida sentença de improcedência. Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06; Liminar indeferida; Agravo de instrumento: 1003117-79.2021.4.01.0000;  Indeferida antecipação de tutela recursal (29/01/2021 – ciência em 15/02/2021) – previsão para protocolo do agravo em 8 de março;SINPRF/PA-AP: 1069395-81.2020.4.01.3400: Proferida sentença de improcedência. Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06. Não houve condenação em honorários porque o juiz tratou a ação coletiva como ação civil pública; Liminar indeferida; Agravo de instrumento: 1003131-63.2021.4.01.0000 interpostos em razão do indeferimento da tutela de urgência, sobre acórdão que negou provimento ao nosso recurso. Nesses casos, como já há sentença, os agravos perderam o objeto;SINPRF/MT: 1069390-59.2020.4.01.3400 Proferida sentença de improcedência. Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06.  Liminar indeferida; Agravo de Instrumento: 1003143-77.2021.4.01.0000 Agravo de Instrumento desprovido. Não iremos recorrer pois o processo já foi sentenciado;SINPRF/BA: 1069320-42.2020.4.01.3400:  Proferida sentença de improcedência.  Liminar Indeferida;  Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06. Indeferida (16/12/2020); Agravo de Instrumento: 1003129-93.2021.4.01.0000  Agravo de Instrumento desprovido. Não iremos recorrer pois o processo já foi sentenciado;SINPRF/MS: 1070128-47.2020.4.01.3400 Proferida sentença de improcedência. Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06. Liminar Indeferida.  Agravo de Instrumento: 1003132-48.2021.4.01.0000 Agravo de Instrumento desprovido. Não iremos recorrer pois o processo já foi sentenciado;SINPRF/PB: 1069399-21.2020.4.01.3400: Proferida sentença de improcedência. Previsão protocolo Apelação para o dia 01/06. Não houve condenação em honorários porque o juiz tratou a ação coletiva como ação civil pública; Liminar Indeferida; Agravo de Instrumento: Julgado prejudicado diante da sentença de improcedência na origem (ciência em 31/05);SINPRF/PE: 1069404-43.2020.4.01.3400:  Liminar Indeferida. Após petição de reconsideração, foram remetidos os autos à 2ª Vara, que deferiu parcialmente a tutela. Agravo de Instrumento: 1001816-97.2021.4.01.0000 Agravo julgado prejudicado. Fizemos pedido de desistência; SINPRF/AL: 1065575-54.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente – 360 dias (23/01/2021) Agravo de Instrumento: 1007299-11.2021.4.01.0000 (União) Contrarrazões apresentadas em 08/04;1069428-71.2020.4.01.3400 –SINPRF/SC: Contestação 29/03 – sem intimação para réplica; Deferida parcialmente – 360 dias;SINPRF/AM: 1069316-05.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente – 360 dias (27/01/2021); Agravo de Instrumento: 1007087-87.2021.4.01.0000 (União) Dado provimento ao AI da União para cassar a decisão que concedeu a prorrogação dos efeitos da IN n.º 24/2020. Previsão de protocolo dos Embargos de Declaração em 23/11;SINPRF/CE: 1069326-49.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente – 360 dias (9/02/2021) Agravo de Instrumento: 1010327-84.2021.4.01.0000 (União) Concedido efeito suspensivo ao AI da União, de forma a manter os efeitos da IN nº 24/2020 até ulterior julgamento colegiado. Ciência em 23/04. Iremos interpor Agravo Interno.SINPRF/RR: 1069723-11.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente- 360 dias (15/03/2021 – ciência em 22/03); Agravo de Instrumento: 1015597-89.2021.4.01.0000 (União): Pedido de efeito suspensivo ainda não analisado. Apenas intimação para contrarrazões;SINPRF/AC: 1069722-26.2020.4.01.3400: Liminar deferida parcialmente- 360 dias. Agravo de Instrumento: 1015890-59.2021.4.01.0000: Agravo de instrumento da União provido, para cassar a liminar. Iremos opor Embargos de Declaração, com prazo para 29/11