‘Bolsonaro demonstra preocupação com reação intensa de policiais após sua quebra de promessa’

‘Bolsonaro demonstra preocupação com reação intensa de policiais após sua quebra de promessa’

Fonte: CBN

Vera Magalhães fala sobre a insatisfação dos policiais federais, rodoviários federais e penitenciários em relação ao reajuste linear concedido pelo governo federal a todo o funcionalismo público. A categoria esperava o aumento de até 20% prometido pelo presidente Jair Bolsonaro, que voltou atrás após receber críticas de outros setores, como Receita Federal e Banco Central.

No #VivaVoz, Vera Magalhães (@veramagalhaes) fala sobre a insatisfação dos policiais federais, rodoviários federais e penitenciários em relação ao reajuste linear concedido pelo governo federal a todo o funcionalismo público. A categoria esperava o aumento de até 20% prometido pelo presidente Jair Bolsonaro, que voltou atrás após receber críticas de outros setores, como Receita Federal e Banco Central.

‘Bolsonaro demonstrou preocupação com a reação intensa do pessoal da área de segurança após sua quebra de promessa’, nota Vera. ‘Ele havia se comprometido com a recomposição dos policiais rodoviários federais e carreiras correlatas, que iria de 16% a 20%, e até acenou com reserva de recurso para o reajuste… mas houve descontentamento enorme nas demais carreiras federais.’

Para evitar o desgaste, o presidente voltou atrás e decidiu pelo aumento linear de 5% para todos os servidores federais. ‘Mas segue o impasse, porque nem os 5% foram dados até agora’, ressalta a comentarista. ‘Desagradou a gregos e troianos. Ele tenta administrar uma crise que foi criada por ele mesmo.’

Na tentativa de aplacar as críticas dos policiais, Bolsonaro tentou uma manobra para agradá-los na questão do plano de carreira, muito reivindicado. ‘Para ver como o presidente governa: ligou pro ministro da Justiça no cercadinho da Alvorada e falou ‘ô, Anderson [Torres], e se chamar 1.000 pessoas para o concurso em vez de 500? Liga lá pro pessoal da economia’, pontua Vera. ‘Ele age como se o Orçamento fosse um chiclete que você estica. E fala como se essa medida fosse segurar a insatisfação de quem já está na carreira.’

A comentarista destaca o perigo político de gerar desavenças com um grupo tão importante para sua eleição inicial, às vésperas do pleito de 2022, que vale sua recondução à Presidência. No momento, Bolsonaro se vê em disputa acirrada com o ex-presidente e pré-candidato Lula, que estava bem à frente nas pesquisas de intenção de voto. ‘A situação cria problemas no momento em que o presidente quer mostrar recuperação’, avalia Vera.

No #VivaVoz de hoje, Vera Magalhães discorre também sobre a ‘fala injustificável e absurda’ de Lula, quando disse que ‘Bolsonaro não gosta de gente, só de policiais’; o ‘sequestro de uma data simbólica’ por atos antidemocráticos bolsonaristas, onde houve defesa de Daniel Silveira e a propagação de uma ‘noção equivocada’ de liberdade de expressão; e a importância do registro de adolescentes para participação nas eleições.