Carta-resposta sobre a Cerimônia de Comemoração do 94º Aniversário da PRF, Encerramento do Curso de Formação Policial

Carta-resposta sobre a Cerimônia de Comemoração do 94º Aniversário da PRF, Encerramento do Curso de Formação Policial

Acuso o recebimento do convite para participar do evento alusivo ao aniversário de 94 anos da Polícia Rodoviária Federal e, em que pese a admiração e respeito pessoal que guardo por V. Sa., na qualidade de representante sindical e porta voz regional eleito pela categoria, passo a tecer considerações que julgamos pertinentes no momento atual:

O 24 de julho é data de elevado significado para todos nós que, de alguma forma, participamos da história dessa gloriosa instituição que evoluiu diuturnamente deste os primórdios como Polícia das Estradas até alcançar os dias atuais com múltiplas atribuições na segurança pública, utilizando de tecnologia no estado da arte e primando pelo elemento ético em toda e qualquer ação praticada.

Uma evolução que rendeu reconhecimento da população que, tocada pelos
valorosos “patrulheiros rodoviários federais” de então, manifestou sua vontade em um abaixoassinado recolhido em todos os rincões deste país para torna-la um órgão de Estado permanente e constitucional. Tornando-se, pela vontade popular, a polícia cidadã que hoje conhecemos.

Portanto, data alvissareira que encerra em si toda essa história de sucesso e muita luta!

Luta essa levada a efeito pelo esforço e suor de inúmeros e abnegados policiais rodoviários federais, homens e mulheres de valor incomparável, cuja fé na missão se renova a cada nova rendição de serviço nos mais diversos e longínquos confins dessa terra.

Um efetivo multifacetado, representativo de cada segmento de nossa sociedade civil; servidores capacitados nas mais diversas competências e habilidades para garantir a prestação exemplar do serviço de segurança pública onde quer que seja demandado; homens e mulheres
irmanados no senso do cumprimento do dever.

Hoje, a Polícia Rodoviária Federal não teria o que celebrar não fosse a dedicação incansável desses anônimos servidores ao longo dessa história de sucesso. Nenhum reconhecimento da sociedade civil, nenhum recorde de índices de segurança pública, nenhuma credibilidade perante os órgãos congêneres seria viável não fosse o profissionalismo demonstrado por todos e cada um dos integrantes desta grande família no exercício de suas atribuições.

Mas, infelizmente, apesar de ser uma data a se enaltecer, este ano não será uma data a se festejar!

Não obstante todo o profissionalismo, todo o denodo, todo o comprometimento, todo o esforço e todo o sacrifício, com alguns entre nós pagando o preço mais alto, fomos constantemente ao longo desse Governo aviltados em nossa dignidade, ludibriados em nossa fé e vergonhosamente esquecidos.

O sentimento no seio da classe dos policiais rodoviários federais é de angústia e estupefação diante do logro que recaiu sobre nossas cabeças consubstanciando o que a mídia contemporânea chama jocosamente de FAKE NEWS, uma reestruturação FAKE NEWS. Não bastassem as inúmeras e sucessivas perdas de direitos previdenciários, redução nominal e perda real do poder aquisitivo do salário, o efetivo viu-se obrigado a desiludir-se com um governante que se elegeu pautado na segurança pública. O desânimo se alastra silencioso como doença maligna.

Mas o efetivo é forte e bravo e, temos a certeza, conseguirá se reerguer e se
fortalecer enquanto se aproxima outra data de maior significado: O 23 de julho – DIA DO POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL! Esta sim a data que pertence legitimamente a cada dos policiais rodoviários federais do Brasil, de ontem e de hoje, uma data onde cada um pode olhar a sua volta e saber que pode contar com seu irmão em uniforme, de mãos dadas e unidos para continuarem na luta por um futuro melhor onde seu valor seja retribuído com o devido reconhecimento material e não apenas com promessas vazias e falas imponentes de falsa esperança.

Por todas estas razões, a Diretoria do SINPRF-RJ não se sente confiante em
emprestar sua credibilidade perante a categoria para engrandecer um evento cujo significado é eminentemente institucional, figurando em uma relação de vassalagem subserviente e conivente com esse governo descompromissado com suas próprias promessas, um governo sem hombridade.

O sistema sindical, alijado desde o início de todo o teatro engendrado para manter o efetivo esperançoso e leal, não mais pode se calar diante do descalabro que se instala e que espanta qualquer possibilidade de festejos.


Por derradeiro, somente nos resta desejar pleno sucesso a todos os colegas que aceitaram a árdua missão de conduzir os rumos da Polícia Rodoviária Federal em um momento tão delicado de nossa história, diante de um governo tão recalcitrante em determinadas matérias e tão pífio ao lidar com os seres humanos, servidores públicos por vocação, que fazem o Estado acontecer.


Ficaremos junto ao efetivo e celebraremos o dia 23 DE JULHO – DIA DO POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL.


Cordialmente,
JOSÉ ROBERTO GONÇALVES DE LIMA NETO
Diretor Presidente

SINPRF-RJ